sexta-feira, 9 de junho de 2017

Expovinis Brasil 2017 e o concurso Wine Blog Hunter




Meninas e meninos,

Saiu o resultado deste que já é um dos tradicionais eventos dentro da grade de programação da maior feira de vinhos da América do Sul.
O Wine Blog Hunter é um evento onde blogueiros e jornalista de sites são convidados a garimpar na Expovinis vinhos brancos e tintos de valor menos ou igual a R$70,00 que serão postos em degustação ás cegas entre os participantes convidados para eleger o “melhor” em cada categoria.
Nesta edição, infelizmente, não pude participar, mas dentre dez brancos e onde tintos garimpados de vários países, e que se encontrem à venda no Brasil, seguindo o critério de preço acima citado, os vencedores foram:
Branco
Amaral- Sauvignon Blanc 2016-Importado/distribuído pela Bruck-Origem do Chile
Tinto
Torre de Estremoz- Trinc-Ali.B-T.N-Aragonez 2015- Importado/distribuído pela Adega Alentejana-Origem Portugal
Parabéns mais uma vez aos organizadores e participantes.
Foto divulgação
Até o próximo brinde!


Álvaro Cézar Galvão

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Bazar da Cidade-Edição Dia das Mães


Meninas e meninos,
Mais um Bazar da Cidade acontece em Moema, bairro de São Paulo, capital.
Vejam:
BAZAR DA CIDADE, EDIÇÃO DIA DAS MÃES,
TEM MIL DELÍCIAS GASTRONÔMICAS

O Bazar da Cidade Edição Dia das Mães 2017 – que acontece de ​5 a 7​ de Maio, de sexta-feira a domingo, sempre das 11 às 21 horas, na Obra de Arte, em Moema –, promete produtos criativos e uma atmosfera deliciosa para presentear a mamãe.
Aliás, a proposta da curadora Bel Pereira é que se leve a mamãe junto! Sim! Encontrar para ela um presente diferente, em um ambiente muito especial, com um jardim lindo, deliciosas opções gastronômicas e música no fim de semana. 
Nesta edição, o Bazar da Cidade reúne cinquenta expositores com produtos bem variados – roupas e acessórios, semijóias e bijoux, vitrais, cerâmicas, papelaria, sabões artesanais, terrários e até sex toys.​
Na parte gastronômica, um restaurante criativo, comidinhas, vinhos e pastramis, sucos e smoothies, brigadeiros incríveis e um café de ótima qualidade.
Os parceiros gastronômicos desta edição do Bazar da Cidadesão os seguintes:
BeFresh
O BeFresh é referência paulistana quando se fala em comida contemporânea saudável, de qualidade e saborosa. O restaurante ​participa​ desta edição do Bazar da Cidade apenas com um cardápio de bebidas muito, muito especiais. Entre as muitas opções, várias caipirinhas e os incríveis sucos e smoothies BeFresh – feitos de pura fruta, sem qualquer adição de açúcar ou água!
Café Fora da Lei 
Este é o nome do divertido e muito simpático empreendimento dos jovens Cláudia Sukuki e Kauã Sperlling​. Numa caminhonete Ford F75 de 1969, eles levam ao Bazar da Cidade seis ​diferentes tipos de café (preparados com café da variedade Catuaí Vermelho): expresso, coado, irish coffee, com leite de coco, cappuccino e gelado. Para acompanhar, cookies deliciosos.
​Fernanda Vianna Enogastronomia

A sommelier Fernanda Vianna representa algumas importadoras e tem um faro incrível ​para sugerir a seus clientes produtos de alta qualidade e cheios de sabor. Ela volta ao Bazar da Cidade com ​uma ótima seleção de vinhos e espumantes e também com saborosos pastramis.​​ Que delícia!​

​Grão Vizir Masalas e Especiarias
Pela primeira vez Marcelo Nestari leva ao Bazar da Cidade as ervas e temperos da sua Grão Vizir, produtos exclusivos que encantam todos os sentidos. As masalas (termo indiano para mistura de ervas e especiarias) são pra lá de especiais. Entre elas, Curry de Madras, Garam Masala, Kashmir Masala, Panch Phoron Rajasthani, Tandoori Masala e Tchai Masala – esta uma combinação de chá preto, leite e especiarias com sabor picante e ao mesmo tempo adocicado, que proporciona uma sensação indescritível. Destaque também para a Calda de vinho e especiarias, para ser explorada em muitos pratos – a combinação de vinho com açúcar demerara e especiarias pode ser usada tanto em bolos e frutas, quanto em carnes e queijos. 
ll Riccio
Os loucos por comidinhas de bazar vão poder levar para casa as criações de um casal que entende muito de cozinha italiana, a brasileira Marcella Avian e o italiano Matteo D'Androsi. Eles participam do Bazar da Cidade com uma atraente linha de produtos: abobrinhas, berinjelas e cogumelos grelhados, caponata de berinjela, lasagna al sugo, grissini, taralli (biscoito de azeite extra virgem), ciambelline al vino (biscoito de vinho tinto) e biscotti di ceglie (biscoito de amêndoas).
Q Bike
Food bike com brigadeiros incríveis e outros doces.
Q Gastronomia
Restaurante oficial desta edição do Bazar da Cidade, a Q Gastronomia, da chef Larissa Queiroz vai oferecer todos os dias duas opções diferentes de massas artesanais (uma para o almoço e outra para o jantar); uma opção de proteína; uma salada que o cliente poderá montar a seu gosto; e duas opções de quiches ou tortas. Entre as opções, ravioli de queijo meia cura ao molho de parmesão com tomates salteados e azeite de trufas brancas; tortellii de zucca ao molho de manteiga e sálvia; picadinho de filet mignon; torta de frango; e quiche de brie com damasco.

Música –O Bazar da Cidade tem música no sábado e no domingo!
AbandOnada - Grupo liderado pelo tecladista Sérgio Paes, com o melhor do jazz e do blues. Apresentação no domingo 7, às 18h.
Trio Biê - Formado por Loreta Colucci (voz), Luca Frazão (violão 7 cordas) e João Rodrigues (pandeiro), o trio passeia por uma série de sambas de raiz, de Noel Rosa a Paulinho da Viola, de Dona Ivone Lara a João Bosco. Apresentação no sábado 6, às 18h.​

Serviço – O Bazar da Cidade, edição ​Dia das Mães 2017​, acontece nos dias ​5, 6 e 7​ de Maio (de sexta-feira a domingo). Em todos os três dias, sempre das 11 às 21 horas.
Na Obra de Arte, Rua Indiaroba 97, Moema, tel. 5535-2935.

Entrada gratuita. Estacionamento bem ao lado.Fotos divulgação.
Até o próximo brinde

Álvaro Cézar Galvão


sexta-feira, 24 de março de 2017

Queijos na SBAV--SP

Meninas e meninos,
Eu não perderei por nada a próxima degustação da Associação Brasileira dos Amigos do Vinho-SBAV-SP
Vejam abaixo que maravilha de apresentação:

Queijos Nacionais de Origem
terça-feira, dia 28 de março

Dia 28 de março, acontecerá na SBAV-SP uma degustação de queijos nacionais de origem. 
Não perca essa oportunidade de provar queijos brasileiros de nível internacional proveniente de regiões renomadas como Serra da Canastra, Serra das Antas, Amparo e Joanópolis.

Durante a prova, apresentada por especialista, será servido um belo espumante nacional.
Grandes exemplares que já conquistaram prêmios na França e Espanha e serão apresentados pelo Falco, especialista no assunto e proprietário da Galeria do Queijo.
Tomme de Savoie - Leite de Vaca, possui casca dura com mofos cinza, é prensado e não cozido.

Capim Canastra – Leite cru de vaca, tem todo o Terroir da Serra da canastra.

Gorgonzola Dolce – Se diferencia do gorgonzola tradicional por ter o sabor mais suave, mofo mais claro e textura mais fechada.

Pirâmide do Bosque – Leite de cabra - Cremoso na boca, Recoberto com carvão vegetal e mofo branco.

Coração da Serra – Leite cru de vaca, mofo branco (Penicillium candidum) o mesmo do brie.

Queijo Tulha – Leite de vaca, Dezoito meses de maturação, sabor intenso e levemente salgado.
Serviço:

Data: 28 março (terça-feira)
Horário: 20 horas
Valor do investimento:
Associados: R$50,00
Não associados: R$100,00
Local: Sede da Sbav/SP, Rua Cincinato Braga, 321 – 4º andar – Bela Vista (Próximo ao metrô Brigadeiro).
Estacionamento no local: R$8,00 – não esqueça de carimbar seu ticket.
Informações e inscrições e reservas
Anderson, através do e-mail vinho@sbav-sp.com.br , ou através do telefone 11-3814-7905.
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão


terça-feira, 14 de março de 2017

Agora no Brasil novos queijos da França, agora da Borgonha.

Divulgação

Meninas e meninos,

Adoro queijos, sejam daqui ou de fora como os queijos da Borgonha que agora chegam ao Brasil.
Para muitos quando se fala nesta região francesa, a Borgonha, logo se pensa em vinhos, não é mesmo?
Mas a Borgonha é muito mais, tem uma gastronomia rica e variada, é só lembrarmos, por exemplo, do famoso Bœuf Bourguignon, ou Bife Borgonhês.
Agora para os amantes desta iguaria, o queijo, a Borgonha nos mostra queijos de sabores únicos, feitos segundo modos tradicionais, transmitidos de geração a geração, carregando características intimamente ligadas ao terroir e justamente por isso tão notáveis e singulares.
O CNIEL-Centre National Interprofessionnel de l’Économie Laitière ou traduzindo- Centro Nacional Interprofissional da Economia Leiteira, vai trazer ao longo deste ano de 2017 variados queijos que muito representam esta parte da França, a Borgonha.
Alguns do exemplo disto são os tipos de queijos que a Borgonha tem como: Chaource, Époisses, Soumaintrain e Brillat-Savarin, queijos com cremosidade e notas lácteas acentuadas, que estarão disponíveis no país permitindo que os brasileiros explorem novas sensações e ampliem seus conhecimentos sobre os queijos da França.
O produtor escolhido é a família Lincet, que estão fazendo queijos há cindo gerações, e que de sua origem no Marne, foi para Saligny, bem no meio da Borgonha em 1957, por ocasião da aquisição de um pequeno laticínio, especializando-se na produção do queijo Sain Florentin.
Seus queijos são produzidos com leite integral e de vacas, seguindo receitas muito antigas e tradicionais, sempre na perseguição da qualidade.
Cada tipo possui particularidades e qualidades próprias, mas a produção tem início em um processo único desde a coleta com a moldagem e a drenagem, e logo a seguir, os queijos são virados e salgados a seco.
Os produtos frescos são então "secos" e acondicionados por dois dias, e os maturados, serão são levados para as salas de maturação por um período mínimo de duas semanas.
É durante este tempo que se forma a casca branca característica, permitindo que o queijo amadureça e desenvolva seu aroma distinto. Já os queijos de casca lavada são lavados e transformados a mão de três a quatro vezes por semana com Marc de Bourgogne ou água salgada, para ajudar a desenvolver seus sabores e aromas característicos.
Além dos exemplares produzidos pela família Lincet, que chegam ao mercado brasileiro nos próximos meses, outros três queijos que foram trazidos ao Brasil pela primeira vez em 2016 devem continuar se destacando nas mesas e nas degustações neste ano.
O intenso Mimolette Isigny, um dos queijos mais tradicionais da França, tem massa prensada, cor alaranjada com corante natural, sabor com notas de avelã e aroma frutado se desenvolve com o passar do tempo.
O Pont-l'Évêque Isigny (DOP), por sua vez, é um dos mais populares entre os franceses, é originário da Normandia, possui textura macia e cremosa, sabor levemente salgado e aroma de avelã.
Já o amanteigado Abbaye St. Paulin Isigny, produzido com leite da região da Normandia, tem sabor e aroma suaves​ e​ sem acidez.
O Soumaintrain passa por uma maturação com lavagens frequentes durante um período de seis semanas a dois meses, e devido às várias lavagens, sua casca é naturalmente enrugada e úmida, de cor bege claro.
Queijo macio de massa mole possui textura cremosa e cor marfim tendendo para amarelo pálido, trazendo sabor e suavidade à boca muito equilibrada, um toque de acidez (lácteo) e aroma intenso; dependendo da estação, pode trazer sabores vegetais mais ou menos intensos.
Proveniente da região de Borgonha, no departamento de Aube, seu nome deriva da aldeia situada no departamento de Yonne na qual ele era fabricado originalmente.
Brillat-Savarin fresco e natural (I.G.P**)produzido na região de Borgonha, tem seu nome em homenagem ao famoso gastrônomo francês do século XVIII, Jean Anthelme Brillat-Savarin.
Trata-se de um queijo triplo-creme feito com leite integral de vaca, macio, de massa mole e sem casca de superfície branca uniforme e úmida. Possui odores lácteos, aromas delicados de crème fraîche e textura fresca e cremosa com sabor ligeiramente ácido e salgado.
Brillat-Savarin maturado (I.G.P**) , também um queijo triplo-creme de leite integral de vaca. Macio, de massa mole e casca aveludada (mofo branco), possui massa uniforme de cor marfim, com aromas de cogumelo e creme e textura cremosa e suave. Seu sabor é ligeiramente ácido (sabor lácteo) e salgado e tem aromas delicados de creme e manteiga.
O CNIEL, Centro Nacional Interprofissional da Economia Leiteira foi criado em 1973 por produtores e processadores de leite. Seus principais objetivos são facilitar as relações entre ambos e promover uma imagem positiva do leite e produtos lácteos.
Após quatro anos de presença no Brasil, o CNIEL vem promovendo ações com o intuito de intensificar o consumo de queijos nos hábitos alimentares dos brasileiros.
 A.O.P. - Apellation d’Origine Protegée. Em português DOP - Denominação de Origem Protegida
** I.G.P - Indication Géographique Protégée. Em português IGP - Indicação Geográfica Protegida
Para maiores informações-Caroline Putnoki – caroline.putnoki@sopexa.com | Tel.: (11) 4508-8465
Até o próximo brinde!


Álvaro Cézar Galvão

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Festival de Comida Orgânica no Café Journal


 
                                         Pannacotta para o festival OFF-crédito Rafael Wainberg
 
Meninas e meninos,

Já começou o terceiro evento OFF. Até dia 12 de fevereiro acontece o Organic Food Fest- Organic Food Fest, que segue até 12 de Fevereiro, com a proposta principal de três fundamentos da gastronomia: saúde, sabor e frescor.

O menu, de cinco tempos, se obriga a ter metade dos ingredientes de origem orgânica e o restante provenientes de pequenos agricultores.

O Chef Muran, do Café Journal, tem os seguintes pratos:

ENTRADA: Salada de folhas da estação, legumes grelhados e mousse légère de queijo de cabra, servida com molho de agridoce de mostarda e mel.

PRATOS PRINCIPAIS: 

CUBOS DE PIRARUCU COM TUCUPI, servido com arroz na manteiga de castanhas do Pará e farofa de banana da terra e pimenta de cheiro.

PALETA DE CORDEIRO RECHEADA com arroz árabe, coberta com molho obtido de redução do assado e coalhada seca.

CONFIT DE CANARD assado pacientemente em baixa temperatura, com molho de vinho tinto e batatas rusticas temperadas com ervas de Provence.

SOBREMESA: PANNA COTTA DE IOGURTE NATURAL com caramelo de frutas vermelhas e folhas de manjericão.

O evento tem, ainda, uma ação solidária, que para cada menu vendido, o restaurante oferece ao cliente a oportunidade de contribuir com R$ 2,00 a mais em prol da associação comunitária Monte Azul (www.monteazul.org.br). Fundada em 1979, a ONG atua na periferia de São Paulo desenvolvendo importantes projetos de saúde e reeducação alimentar, como a implantação de hortas orgânicas próprias em comunidades carentes.

 Serviço:


Até dia 12 de fevereiro

Preço por pessoa: 150,00 + R$2,00

Restaurante e Wine Bar Café Journal

Alameda dos Anapurus, 1121 – Moema

Fone: 5055.9454

Informação para Imprensa: Blue Comunicações a/c Marilu Peretti

Fones: 11  99686.1729

Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

 

 

 

terça-feira, 29 de novembro de 2016

FESTIVAL DUO APRESENTA HARMONIZAÇÕES




Meninas e meninos,
Vem aí mais um festival mostrando os vinhos argentinos, vejam:

Wines of Argentina, em parceria com as importantes redes de restaurantes RASCAL e NB STEAK e com a Revista Prazeres da Mesa, criou o FESTIVAL DUO, que tem como objetivo apresentar as inúmeras possibilidades de harmonização entre os vinhos argentinos elaborados com diversas uvas e os mais variados pratos  de seus cardápios. Algumas das maiores e mais importantes bodegas argentinas estarão presentes nas cartas de vinhos do Festival Duo, que acontece do dia 22 de novembro a 7 de dezembro nas nove unidades do Ráscal e nas três unidades do NB Steak, ambos em São Paulo.

A idéia é mostrar a versatilidade de diversos estilos e tipos de vinhos argentinos, com alguns dos melhores e mais populares pratos destes 2 restaurantes a preços especiais, abaixo dos que normalmente são praticados em suas cartas regulares.

No Rascal, os rótulos selecionados, serão oferecidos a preços especiais e com as respectivas harmonizações sugeridas. para os pratos a la carte e do buffet, no almoço ou jantar. Já no NB, os vinhos também estarão com condições especiais para serem harmonizados com os seus famosos cortes de carnes.

Wines of Argentina:


Twitter: winesofarg 


Instagram: @winesofargentina

 Rascal:


NB Steak:

Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão
 

 

 

 

 

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Altos Las Hormigas mostra o futuro da Argentina vinícola


 
Meninas e meninos,

Estive faz algum tempo em uma espetacular máster class sobre o terroir adequado refletindo a singularidade nos vinhos advindos dos diversos macro e micro fatores, como os climáticos, de solo e de cepas.
Como de costume, não posto muito próximo dos eventos que participo, por acreditar que a superexposição de textos, fotos e citações à época do que aconteceu, causa certo cansaço nos leitores, que temos que entender, muitos deles são neófitos, aprendizes ávidos, porém, ler sobre o mesmo tema muitas vezes, não creio seja o melhor.

Voltando ao tema, Altos Las Hormigas, vinícola muito conhecida dentro e fora da Argentina, busca com seus profissionais, cada vez mais os fatores que diferenciam naturalmente os vinhos que, vinificados em regiões distintas, apresentam certas características comuns ao que chamamos terroir, ou seja, um conjunto de fatores locais como o clima, o solo, a maneira de condução das parreiras, onde mais ou menos insolação, mais ou menos ventos interferem e mudam características, a cepa escolhida, o manejo durante o ciclo da videira etc...

Antes um pouco do que é a vinícola:
Em 1995, Alberto Antonini, vinicultor conhecido da Toscana, e Antônio Morescalchi, jovem empreendedor, buscaram conhecer as áreas de produção de vinhos em crescimento na América do Sul, e, se depararam com as vinícolas em pleno desenvolvimento nas elevadas altitudes e no clima seco de Mendoza.

O próximo passo veio com a aquisição de 206 hectares no município rural de Lujan de Cuyo.
Quando os vinhedos foram plantados em 1996, os trabalhadores se viram com colônias locais de formigas (hormigas), e se recusaram a envenená-las, passando então a buscar formas naturais para desviar a atenção delas das jovens plantas. Comentavam eles, que as formigas eram as proprietárias “reais” do local e pareciam cobrir uma área enorme e realizar grandes tarefas apesar do seu tamanho minúsculo.

Existe um ditado na Argentina: “un trabajo de hormigas” ou “um trabalho de formigas” que descreve um trabalho extenso realizado com humildade e paciência. Aceitando (ao invés de questionando) esse primeiro teste cultural, foi decidido que a propriedade deveria ser nomeada em homenagem às formigas que são trabalhadoras assíduas, têm espírito de equipe e são muito persistentes.
Passando adiante do tempo, já em 2008, teve início ao Projeto Terroir, filosofia implantada em todas as etapas da busca de solos propícios, ao vinho, reduzindo o uso de carvalho novo, nas práticas viticulturais, aplicando técnicas agrícolas precisas, incluindo um sistema de irrigação padrão, bem como uma fazenda orgânica e biodinâmica, mantendo o compromisso de buscar um vinho autêntico.

As ideias sobre produção de vinhos trazidas da Itália contemporânea são aplicadas ao conhecimento local e à viticultura argentina. A equipe fundadora com Alberto Antonini, que largou seu trabalho de produção de vinho na famosa Antinori para explorar o potencial que viu em Mendoza; Attilio Pagli, também vindo da Toscana para Mendoza; e Carlos Vazquez, um pioneiro na viticultura argentina. Antônio Morescalchi apresentou o Malbec argentino a um mundo que, há 20 anos, não conhecia nem o Malbec nem a Argentina como país produtor de vinho.
Passando a máster class apresentada por Leo Erazo, enólogo da Altos Las Hormigas, que apresentou seus vinhos com conceito de Terroir, feito em conjunto com o conhecido sommelier chileno Hector Riquelme, máster class ofertado pela importadora dos vinhos Altos Las Hormigas em parceria com a Eno Cultura.

Qual o futuro da Argentina vinícola? Se depender da Altos Las Hormigas, a resposta está na ponta da língua: “Estamos convencidos de que a próxima geração de vinhos da Argentina deverá refletir mais a área na qual são produzidos.  Para tanto, deve-se dispensar mais atenção aos estudos do solo e entender o terroir de Mendoza. Acreditamos estar à frente desse movimento. Nossa visão é produzir vinhos singulares que sejam um reflexo da nossa crença inabalável: de que a escolha do local é o futuro da Argentina”. 
A extensa pesquisa sobre esses solos de calcário resultou no mapeamento extenso e na classificação das áreas de cultivo de Mendoza, identificando os locais mais ideais e empolgantes.  Os solos de Mendoza são aluviais e foram formados pela ação da água em movimento derivada do desgelo das montanhas dos Andes. Conforme viaja os Andes abaixo, a água arrasta diferentes elementos, depositando-os pelo caminho, e assim forma diversos solos ao longo dos anos. Cada solo distinto resulta em um vinho distinto.

Não quero ser mais extenso, e nem me aprofundar muito neste tema, pois o que realmente sempre importa para mim é a incrível sensação do “gosto ou não gosto”, expressa nas palavras de quem degusta os vinhos, com mais ou menos profundidade de conhecimentos, mas com o prazer de ter um vinho na taça.
Eu, particularmente gosto muito dos vinhos da Altos Las Hormigas, principalmente os de origem da região de Vista Flores, para o Malbec, mas considero o Colonia Las Liebres Bonarda, um exemplo de relação qualidade X preço das melhores do mercado.

A World Wine importa os seguintes vinhos da Altos Las Hormigas: Colonia Las Liebres Bonarda- Malbec Clásico-Malbec Terroir-Malbec Reserva-Malbec Appellation Vista-Malbec Appellation- Malbec Appellation Gualtallary e para saber mais e sobre os preços, consultem a World Wine por telefone nas Capitais: 11 4003-9463, ou demais localidades: 0800 880 9463, e também pelo site www.worldwine.com.br
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão