sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Bartender de SP participa de campeonato mundial em Bourdeaux

Meninas e meninos,

Meu amigo Luiz, que sabe tudo do mercado cafeeiro, me enviou esta matéria publicada na Folha de São Paulo:
Versão de caipirinha apresentada pelo bartender Rabbit, em congresso na França

O bartender Rogério Coelho Barroso, conhecido como Rabbit, representou o Brasil no campeonato IBS --International Bartenders Seminary-- que aconteceu de 5 a 9 de dezembro em Bordeaux, na França. O evento de cinco dias apresentou novas bebidas e coquetéis compostos por licores da marca Marie Brizard.
Nesta terça-feira (9), aconteceu um desafio em que cada bartender apresentou uma receita inédita. Participam do campeonato profissionais de 130 países. O representante brasileiro vai participar com uma versão de caipirinha preparada com um toque de licor de anis. Veja receita: Ingredientes
- 30 ml de cachaça
- 10 ml de licor de anis
- 10 ml de licor de de limão siciliano
- 5 folhas de manjericão
- 8 gomos de uva Itália
Modo de preparo: Macerar os ingredientes, acrescentar a cachaça e os licores; gelo à vontade.
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Terroir, palavra que mais confunde do que explica!

Meninas e meninos,
Para me despedir nesta semana curta de Natal, queria deixar no ar este artigo que publiquei em outra mídia sobre o “Terroir”.
Que tenham todos um ótimo Natal.

Sei que este terreno é minado, não no sentido ruim, mas de assunto explosivo!
Há muita discussão em torno do que seja e para que serve o terroir, esta palavra francesa, que não encontramos uma tradução literal em nossa língua.
Vou apelar para um enólogo, dos mais competentes que conheço, que é o Marcelo Retamal, responsável pela De Martino no Chile.
“Terroir, para mim, é uma somatória da geologia; solo; clima; ­­­­­­­vinhedo e manejo
Grafei vinhedo e manejo em negrito, pois é aqui que eu quero me apegar um pouco mais nesta minha consideração sobre o tema.
Quando temos vinhedos diferentes, uvas distintas e em parcelas diversas, para mim fica claro, que uma “parte” daquele terroir, está se expressando!
A mesma coisa se aplica, quanto ao manejo.
Terroir no meu entendimento, além é claro, de expressar com nitidez uma característica local, deve ter muito nítida em que condições de manejo e com quais uvas e vinhedos estamos trabalhando, claro que podemos assumir de pronto que poderemos, e creio mesmo que temos, vários terroirs em uma mesma propriedade.
O solo não se modifica, independentemente de divisas?
Por que será que os mais antigos, que nada ou quase nada entendiam de terroir, procuravam vinificar seus melhores caldos, com “aquelas parreiras”, que formavam uma parte diferenciada dentro da parcela?
Eram melhores que outras, e eles ao longo de anos e mesmo de gerações, sabiam disso, e delas faziam seus tops.
O clima teria mudado em torno delas?
Talvez o manejo, visto serem as queridinhas?
Agora, muito provavelmente a geologia e solo, não eram os mesmos, pois eram diferenciadas no meio das outras parreiras, estas que se destacavam como excepcionais.
Acredito que tenhamos que buscar uma tipicidade maior, que nos permita identificar os vinhos daquela região ou mesmo, daquela parcela de tal produtor, busca esta feita com critérios.
Ai vem a pergunta: Mas tipicidade é mais importante do que gosto?
Ou seja, deixar de fazer um vinho que ao longo do tempo já tenha caído no agrado, para buscar-se uma tipicidade, que muitas vezes irá pedir mudanças de manejo? Ou será melhor começar do zero com um novo vinho?
Vou colocar mais uma pitadinha nesta questão: Se o manejo da propriedade tender ao orgânico, ou mesmo ao biodinâmico, isto não muda tudo?
Eu particularmente, não por saudosismo, mas por constatação, vejo que os mais antigos é que sabiam respeitar os limites, no trato à terra, animais e natureza, ou seja, já praticavam a biodinâmica, com bons resultados para a época, sem saberem que o nome da cultura, gerações mais tarde, seria este “BIODINÂMICA,” então mãos à obra, e busquemos esta expressão individual, esta tipicidade, mas pensando mais holisticamente no todo, pois ai poderemos extrair verdadeiramente as melhores condições de cada parcela do parreiral.
Por falar em vinhos orgânicos e biodinâmicos, estes serão alvo de um próximo artigo!
Este tema, quando entra no sentido literal da palavra holistico, não parece feito para se entender universalmente o significado do Natal para os cristãos?
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

sábado, 20 de dezembro de 2008

O Bierquelle promove um jantar exclusivo à imprensa

Meninas e meninos,
Alguns convites que recebo são mesmo uma bênção e uma retribuição ao trabalho que executo, com isenção e paixão.
Poderia aqui citar inúmeros ao longo deste ano (sem falar em outros anos, que poderia soar saudosista demais).
Estive no jantar oferecido pelo Diethelm do Bierquelle (que conheço faz algum tempo, mas que não o via desde que se mudou para o Campo Belo), e pela Bier Et Wein Importadora, que trabalha com cervejas Premium importadas das mais diversas localidades.
O ambiente era de uma total descontração, amizade, e já em clima de confraternização, pois foi uma oportunidade de encontrar amigos jornalistas, lindas meninas lindas, gente importante, inteligente e bem informada.

Encontrei-me com o Edgard da Sax, o jornalista Luiz Zenga, o fotógrafo Rafa, Dina do Spot Life, Jorge Monti da ABAGA, Marcelo, Tatiana e Camila da B&W, e por ai vai...


Bierquelle celebra 25 anos com novos sabores, carta de cervejas e campanha de aniversário em jantar exclusivo à imprensa.


Novas mostardas para acompanhar as já famosas especialidades gastronômicas alemãs, suíças e austríacas e uma carta de cervejas para harmonizar com os pratos da casa. Junte essas novidades a um clima tipicamente germânico, músicas tradicionais e a simpática figura de Diethelm Maidlinger, proprietário que garante bom atendimento e conversa com os clientes no salão e aí está o Bierquelle, tradicional restaurante alemão que completará 25 anos em janeiro de 2009.
Para comemorar essa data tão importante, a casa lança seis estilos de mostardas exclusivas: mel, raiz forte, wasabi, estragão, chilli e alho, produzidas pelo próprio Diethelm, para acompanhar as suas tradicionais e saborosas salsichas caseiras. E para fazer jus ao nome – Bierquelle significa “fonte de cerveja” em alemão - o restaurante também lançará uma carta de cervejas com variedades alemãs, tchecas, austríacas e holandesas, incluindo marcas como Erdinger, Warsteiner, 1795, Eggenberg e La Trappe para harmonizar com seu cardápio.
Como promoção, durante o mês de aniversário - de 02 a 30 de janeiro de 2009 - todos os clientes receberão de cortesia um chope da casa (Fass Bier) e um couvert alemão de entrada (mediante o consumo de um prato principal), além de 20% de desconto no Festival da Truta que acontece também em janeiro com 12 receitas especiais, destacando a truta com amêndoas e Cointreau. Haverá ainda o sorteio de uma cesta de presente com mostardas e cervejas especiais entre os clientes que freqüentarem a casa nesse período.
O BIERQUELLE
O Bierquelle foi inaugurado em Interlagos, no dia 13 de janeiro de 1984. A segunda casa abriu as portas em Campo Belo a partir de 1999. Em 2005, as duas foram fechadas e deram lugar à nova unidade em Moema, onde permaneceu até o ano seguinte. No ano passado, o restaurante voltou para Campo Belo, onde permanece até hoje. Conduzido por Diethelm Maidlinger desde que era apenas um pequeno bar em 1984, o Bierquelle ganhou fama pelos fondues servidos ao longo do ano inteiro e, claro, pelas salsichas e lingüiças caseiras. Diethelm conta que sempre ouvia muitas reclamações sobre a qualidade desses produtos e queria ter algo de excepcional qualidade em seu restaurante. A convite de um açougueiro alemão, passou cinco dias acompanhando a produção de salsichas na Alemanha, para onde retornou depois de um ano e especializou-se na produção caseira desta iguaria típica. Diethelm nasceu na cidade alemã Grossdorf - Braunau, hoje pertencente à República Tcheca e, em 1965, mudou-se para Brasil.

Sobre a parceria com a Bier & Wein, que fundada há 22 anos, e é a maior importadora de cervejas especiais do Brasil, trazendo ao país marcas mundialmente conhecidas e prestigiadas e também uma expressiva linha de vinhos e espumantes, além de distribuir rótulos exclusivos de cervejas nacionais e águas saborizadas. Dentre as marcas de cerveja líderes no mercado, estão as alemãs: Erdinger – a cerveja de trigo mais conhecida e consumida no mundo, Warsteiner – pilsen top of mind alemã e HB - cerveja da prefeitura de Munique, que originou o tradicional Oktoberfest; as holandesas: La Trappe - produzida no Monastério de Koningshoeven, Urthel – receita belga produzida na Holanda e 8.6 strong lager – força e personalidade em cerveja; a austríaca Eggenberg – produtora da Samichlaus, a lager mais forte do mundo; as canadenses premiadas Unibroue; as nacionais: Dado Bier, Therezópolis e Bauhaus. Desde meados de 2006, a Bier & Wein assumiu também a distribuição nacional da cerveja irlandesa Guinness - ícone mundial de cerveja stout. Entre os vinhos, destacam-se os uruguaios Dante’s Irurtia, o chileno Panilonco - dos vinhedos Errázuriz-Ovalle (EOV), os argentinos Nesman e os conceituados espumantes alemães da Henkell & Co, além da distribuição da linha de águas saborizadas Neutra.
Bier & Wein Importadora.:comunicacao@buw.com.br
11 5641-3023 r 29

BIERQUELLE:
Rua Pascal, 608 – Campo Belo – SP.
3ª a 6ª das 12h às 15h e das 18h às 24h; sábados e feriados das 12h às 16h e das 18h às 24h e domingo das 12h às 16h. Fecha às segundas.
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Vinícola Perini lança o Moscatel 10

Meninas e meninos,

Recebi da assessoria de imprensa da Vinícola Perini, a Aline, esta novidade que agora repasso nest post.
"Com edição limitada, o Moscatel 10 comemora os 10 anos do primeiro moscatel elaborado por uma vinícola 100% brasileira, a Vinícola Perini.
Elaborado com a variedade Moscato R2, resultado da seleção dos melhores moscatos italianos para as condições da Serra Gaúcha, o Moscatel 10 faz parte da linha Premium da Vinícola Perini, ampliando a diversidade de produtos oferecidos ao exigente mercado de apreciadores dos espumantes de qualidade.
Comercializado em uma embalagem diferenciada através do site da Vinícola e nas principais casas especializadas, o Perini Moscatel 10 apresenta aromas florais e sabor complexo que lembra uva passa, além de sua intensa cremosidade e fino perlage.
O presidente da Vinícola Perini, Benildo Perini, declara "sinto-me realizado por ter inovado ao introduzir um varietal como o Moscato R2, que deu origem ao nosso Moscatel 10. Acredito que este produto nasce como um marco, num momento em que a vitivinicultura brasileira está desenvolvendo sua identidade. Após termos lançado há 10 anos o primeiro moscatel, trazemos neste espumante o néctar obtido da uva moscatel que melhor se adaptou a nossa região, sendo espumatizado com destreza pela equipe de enólogos da Perini".
Como referencial de qualidade dos Espumantes elaborados pela Vinícola Perini, estão as diversas premiações nacionais e internacionais conquistadas nos últimos anos, como a do Vinho Base para Espumante, agraciado pela ABE na Avaliação Nacional de Vinhos como representativo na sua categoria da safra 2008; a premiação máxima no V Concurso do Espumante Fino Brasileiro em 2007; o Vinandino 2007 (Argentina), o V Concurso Effervescents du Monde 2007 (França) e o recente IV Concurso Internacional de Vinhos do Brasil".

Sobre a variedade Moscato R2
Diferenciada por apresentar grande intensidade e maior complexidade aromática, a variedade Moscato R2 é um clone específico no universo das uvas Moscatéis, sendo considerada pelos enólogos como o máximo do esforço em pesquisa e observação para selecionar alguns pés de uma variedade que apresenta características distintas. Além disso, não utiliza engenharia genética ou cruzamento com outras variedades.
Em 1970, Benildo Perini, atual diretor, inicia o pequeno empreendimento familiar em sua empresa, que engarrafa o vinho com a marca Jota Pe. Em 1996, a empresa lança a marca Casa Perini, uma linha de vinhos e espumantes de alta qualidade elaborados exclusivamente com uvas viníferas de produção própria.
http://www.vinicolaperini.com.br/
Aline Aurelio Carvalho
Assessora de Imprensa Vinícola Perini
51 3375.5800
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Sergio Inglez de Souza é o novo presidente da SBAV-SP


Meninas e meninos,
Meu amigo Sergio Inglez de Souza, uma das personalidades do vinho que mais incentivam e falam sobre os vinhos brasileiros, foi eleito presidente da SBAV-Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho seção São Paulo, tendo como seu vice o também amigo Fernando Quartim Barbosa para o biênio 2009/2010; parabéns SBAV, enófilos parabéns.


A Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho, a primeira confraria enológica do País, termina o ano de 2008 com a eleição de sua nova diretoria executiva.

Sergio, formado em engenharia e um dos principais enófilos do Brasil, nasceu em Piracicaba e já publicou cinco livros sobre o mundo do vinho. Para o próximo ano, o novo presidente prepara o lançamento de mais um título. Como colunista, articulista e colaborador de várias mídias especializadas, tem centenas de artigos publicados e recebeu o troféu Vitis, por seu trabalho de divulgação do vinho. Fundada em São Paulo, em 1980, a Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho reúne apreciadores da bebida para degustações, trocas de conhecimentos e difusão do mundo do vinho. A SBAV-SP fica na Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 2586, em São Paulo.
Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3814-7905, com Nelson, ou pelo site http://www.sbav-sp.com.br
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Classics By Interfood e Arturito

Meninas e meninos,
A Interfood Importação Ltda, chamou uma equipe de jornalistas, críticos e enófilos, para um encontro, onde pudéssemos todos brindar ao ano que quase se finda.
Meus amigos Bruno Airaghi e a linda Fernanda Fonseca, ambos de competência inconteste, organizaram um jantar no restaurante Arturito, onde além da amizade que rolou solta entre os convivas, a gastronomia e os belos caldos foram o ponto alto.
Vocês verão com certeza outros amigos que se dedicam aos vinhos e a enogastronomia escreverem sobre esta noite de amizade e festim, que à bem da verdade, o Bruno não queria que assim fosse feito, por ser a noite de diversão e não de trabalho.
Fomos recepcionados com nada menos que o Champagne Piper Heidsieck Rare, que estava ótimo e na temperatura correta, borbulhas nos fazendo antever o sucesso do encontro.
Fomos para a mesa, e como entradas:
-Salada de verduras assadas no forno a lenha, mozarela de búfala artesanal e focaccia.
-“Carta de música” com presunto Serrano espanhol, salmorigano, figos maduros, rúcula selvagem e tomates crocantes.
-Lulas crocantes no forno a lenha.
Os vinhos:
- Ronco Del Re 2001 IGT, um maravilhoso branco da Emilia Romagna que encantou à todos e que, ao menos por nós mais próximos, foi eleito o vinho da noite.
-Montepulciano D´Abruzzo Cerasuolo 2006 DOC.
Para o prato principal chamado FORNO A LENHA, CHAPA E COZINHA:
-Gnocchi de ricota de búfala, molho de tomates e lingüiça caseira.
-Peixe fresco do dia na chapa, vagens francesas e batatas, azeite de tomilho e limão siciliano.
-Ojo de bife premium curado e batatas Asterix Robuchon
Os vinhos:
Chianti San Marcelino 2003
Touriga Chã 2004.
Cada um pedia sua preferência para os pratos desde as entradas, e devia escolher o vinho para harmonizar com sua escolha, mas os vinhos eram todos de alta gama, então fomos “obrigados” a pedir sempre os dois vinhos e fazer um verdadeiro exercício de enogastronomia.
Para a sobremesa, a Interfood nos reservava mais surpresas.
-Mousse au chocolat
-Chocolate Valrhona Guanaja, shortbreads Del sal Maldon.
-Panetone artesanal tostado e flambado com cognac com sorvete de uvas passas
-Pêra Massa crocante de sementes, creme gelado de baunilha, pêra caramelizada com Amareto.
O vinho o Remember 2001, um passito do Piemonte que encantou aos presentes.
Não costumo colocar preços em minhas matérias, então todos estão convidados a entrar em contato com a Interfood 11 2602-7255 para adquirir estas preciosidades.
Ano passado já havíamos participado desta comemoração nesta época tradicional de encontros, e nos lembramos dela, viva ainda em nossas mentes.
Tenho a certeza de que em anos porvindouros, ainda nos lembraremos da descontração, alegria e amizade, além da gastronomia e dos vinhos, que esta noite nos proporcionou.
Obrigado à Interfood, Bruno, Fernanda, e aos amigos presentes que fizeram desta reunião, umas horas de risos, e harmonia.
Bom Natal e Feliz 2009.
Arturito: Rua Artur de Azevedo, 542- Pinheiros.
http://www.arturito.com.br/
Interfood: Rua Borges de Figueiredo, 1133- Mooca.
http://www.interfood.com.br/
Fernanda Fonseca: 3707-4640
fernandafonseca@propop.com.br
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

ABRUZZO no AGUZZO


Meninas e meninos,
Mais uma oportunidade que tive para degustar os vinhos da região de Abruzzo, desta vez ao lado da excelente culinária do Restaurante Aguzzo.
Não é rima não, mas bem que poderia ser, pois a noite funcionou como um poema!

Na região de Abruzzo, as D.O.C Montepulciano d’Abruzzo; Trebbiano d’Abruzzo e a D.O.C.G Montepulciano d’Abruzzo Colline Teramane, garantem a qualidade e o repeito às especificações disciplinadas pelas demarcações.
Abruzzo é uma região de paisagens encantadoras, onde as condições climáticas especiais fazem das videiras motivo de orgulho, sendo produzidos vinhos brancos, roses e tintos de altíssima qualidade.
Fomos recebidos com a cortesia de sempre do Rezende, que logo nos fez empunhar o Rosato San Lorenzo 2007- Montepulciano/Cabernet.
Para harmonizar com o vinho, foram servidas bruschettas com queijo de cabra, rúcula e “sopressata”
Logo após, degustamos o Marramiero Altare 2005-Trebbiano d’Abruzzo, belíssimo vinho, que harmonizou muito bem com a polenta italiana com camarões ao açafrão e aspargos.
Para a massa caseira típica de Abruzzo, com pancetta, tomates frescos, e queijo curado de ovelha, degustamos o Marramiero Inferi 2005- Montepulciano d’Abruzzo.
Para a paleta de cordeiro ao forno com alecrim e favas frescas, o vinho foi o Oinos San Lorenzo 2005- Montepulciano d’Abruzzo D.O.C.G.
A sobremesa, para não fugir ao tema vinho de Abruzzo, foi uma Pêra cozida ao vinho Montepulciano Sírio.
Os representantes da By Abruzzo, Franco Marchetti, Mário Gimenes, Nelson Fontella, Alceu Costa e família nos colocaram muito à vontade para a esta verdadeira comemoração, já que o jantar e a degustação, fazem parte da estratégia de começar mostrar os belos vinhos trazidos da região.
A Sommelière do grupo Beatriz Alves, nos servia os vinhos e explicava as características de cada um, os quais coloco nesta postagem.
Tive o prazer de me encontrar com meus amigos Inêz e Feitosa, que também foram convidados para a ocasião.
A casa superlotada demonstrava o acerto da escolha, e o sorriso do Rezende, não deixava dúvidas disso.
A foto é da Letícia Fernandes
By Abruzzo:0800-770-0949
Até o próximo Brinde!

Álvaro Cézar Galvão

domingo, 14 de dezembro de 2008

VOCÊ SABE O QUE É "ENTUSIASMO"?

Meninas e meninos,
Todos os anos as frases de efeito e de bons augúrios se repetem ao findar do ano, mas na maioria das vezes quase que automaticamente.
Recebi esta mensagem de uma linda menina linda, que freqüenta minhas palestras e resolvi postá-la, não sem antes agradecer aos visitantes do blog, que o estão transformando em fonte de consulta.
Não fico colocando notas e observações muito técnicas, pois a minha intenção é criar o desejo de se degustar aquele determinado vinho.
Degustar é colocar os cinco (no caso das meninas seis) sentidos em alerta para aquele ato, não é simplesmente deglutir!

VOCÊ SABE O QUE É "ENTUSIASMO"?

A palavra entusiasmo vem do grego e significa "ter um Deus dentro de si". Os gregos eram politeístas, isto é, acreditavam em vários deuses. A pessoa entusiasmada era aquela que "era possuída" por um dos deuses e, por causa disso, poderia transformar a natureza e fazer as coisas acontecerem. Assim, se você fosse entusiasmado por Ceres (deusa da agricultura), você seria capaz de fazer acontecer a melhor colheita, e assim por diante.Segundo os gregos, somente as pessoas entusiasmadas eram capazes de vencer os desafios do cotidiano.Era preciso, portanto, entusiasmar-se. Assim, o entusiasmo é diferente do otimismo.Otimismo significa acreditar que "uma coisa vai dar certo". Talvez até torcer para que ele dê certo. Muita gente confunde otimismo com entusiasmo. A pessoa entusiasmada é aquela que acredita na sua capacidade de transformar as coisas, de fazer dar certo. Entusiasmada é a pessoa que acredita em si, acredita nos outros. Acredita na força que as pessoas têm de transformar o mundo e a própria realidade. E só há uma maneira de ser entusiasmada: é agir entusiasticamente! Se formos esperar pelas condições ideais primeiro, para depois nos entusiasmar, jamais iremos atingir o entusiasmo necessário, pois sempre teremos uma razão para adiar o nosso entusiasmo. Não é o sucesso que traz o entusiasmo, mas o contrário, o entusiasmo é que traz o sucesso!Conhecemos pessoas que ficam esperando as condições melhorarem, a vida melhorar, o sucesso chegar, para depois se entusiasmar.Mas a verdade é que jamais se entusiasmarão com alguma coisa. O entusiasmo é que traz a nova visão de vida como vai o seu entusiasmo?Como vai o seu entusiasmo pelo Brasil, pelo curso, pelo seu emprego, pela sua família, pelo seu sucesso e pelo sucesso de seus amigos?Se você é daqueles que acha impossível entusiasmar-se com as condições atuais, acredite: jamais sairá dessa situação.É preciso acreditar em você, acreditar em sua capacidade de vencer, de construir o sucesso, de transformar a realidade.Deixe de lado todo o negativismo. Deixe de lado o ceticismo. Abandone a descrença e seja entusiasmado com sua vida e, principalmente, entusiasmado com você. Você verá a diferença. Boa sorte e sucesso.
(Adaptado de: Martins Filho, L.A. Socorro, preciso de motivação, São Paulo, Ed. Aba, 1997).

DESEJO A TODOS UM BELÍSSIMO NATAL E UM 2009 MUITO MELHOR.
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Wagner Sturion jornalista, é o meu entrevistado.


Meninas e meninos,
Hoje tenho mais um presente para quem lê meus posts.
Faz mais de dois anos, tento entrevistar nosso convidado de hoje, Wagner Sturion, jornalista, editor de revistas da área de gastronomia e alimentação fora do lar.
Fiz algumas perguntas, que o Wagner respondeu a conta-gotas em dois anos de cobranças, mas enfim, com vocês um pouco do meu amigo Wagner.
Foto de Renato Rocha.
Entrevista

1) Trabalhar em uma revista que envolve alimentação, foi coincidência ou sua procura?

- Não considero que minha trajetória tenha sido coincidência. Creio que na vida tudo tem um propósito. Cada jornal e revista pelos quais passei somaram experiências à minha vida profissional.
Tenho orgulho de ter trabalhado para o crescimento desses veículos. Trabalhei, inicialmente, em jornais no interior de São Paulo. Em 1995, no início da minha carreira, em São Paulo, fui contratado como terceirizado pela unidade da Sadia da Vila Anastácio para editar um jornal para os colaboradores da empresa, onde fiquei por quatro anos.
Nessa época, fiz também matérias como free lancer para a Editoria de Carros, da revista Go Where? SP. No ano de 2001, a Editora Banas me contratou para a revista Pack, voltada ao segmento de embalagens. Pouco tempo depois passei a integrar a equipe da revista Banas Qualidade, que tem o foco em gestão, processos e meio ambiente, na qual fui redator-chefe.
Meu último trabalho na Banas foi para a revista Cozinha Profissional, na qual permaneci por cinco anos, aproximadamente, como diretor de redação.
Em março de 2008, a Brazil Trade Shows me contratou para editar a revista Gourmet & Food Service, dedicada ao mercado de refeição fora do lar. Criamos um projeto diferenciado, com o objetivo de levar informação e profissionalização a partir de textos e imagens que demonstram oportunidades de crescimento aos gestores do segmento food service.

2) Por que a gastronomia e o food service?

- Esta é uma área com que me identifico muito, tanto que fiz pós-graduação em Gestão de Negócios em Serviços de Alimentação, no Senac, para entender um pouco mais sobre o segmento food service (alimentação fora do lar).
Sinceramente, acredito que estou no lugar certo. Quero continuar por muitos anos no segmento gastronômico e, para isso, continuarei pesquisando, estudando e transmitindo minhas experiências, afinal, nós somos aquilo que conhecemos e aprendemos!
Gosto do que faço, escrevo com prazer. Dedico-me a cada coluna da revista Gourmet & Food Service, porque sei que quando ela entra em circulação, do outro lado, olhos muito interessados em informações irão buscar conhecimento e aprender com o conteúdo de suas páginas.

3) O que você acha das revistas que circulam no mercado de alimentação, suprem as necessidades do consumidor?

- Sou um tanto suspeito para responder. Se formos analisar as de alimentação fora do lar, claro que a minha preferida é a revista Gourmet & Food Service. Ela prioriza a gestão das casas de alimentação (restaurantes, padarias, fast-foods, bares, botecos, lanchonetes etc.).
Temos uma equipe completa de jornalistas e consultores, especializados em alimentação fora do lar, dispostos a orientar os profissionais do setor em todas as áreas que compõem um estabelecimento food service. Falamos de administração, marketing, finanças, atendimento, recursos humanos etc. Cobrimos amplamente o setor, oferecendo detalhes gerenciais para impulsionar a produtividade e o lucro. Posso afirmar que para o profissional de gastronomia, que procura aprendizado em gerenciamento, além de referências de sucesso, Gourmet & Food Service é a leitura mais acertada.

4) Qual a sua opinião, sobre críticas gastronômicas?

- Criticar é algo muito fácil. O difícil é orientar, sugerir, ensinar!
Sou a favor do respeito ao trabalho de um proprietário, de um chef, de uma equipe. O sabor e o aroma que eu sinto em um prato não é o que outra pessoa na mesma mesa perceberá.
A impressão e a percepção do atendimento não serão iguais para várias pessoas de um único grupo, portanto, a crítica precisa ser construtiva e justa, pois elas podem levantar ou até derrubar um profissional ou um restaurante.
Tenho como princípio preservar a minha opinião própria: quero ter a experiência do aroma, do sabor, do atendimento e tirar minhas conclusões. Acho que todos os clientes deveriam fazer o mesmo.

5) Com o avanço da tecnologia, como você vê o futuro das revistas impressas, é possível caminharem juntos?

- Perfeitamente. Acredito que uma não vive sem a outra (revista impressa e on-line). Nenhuma tecnologia substituirá o papel. Os leitores querem tocar a revista, folhear suas páginas, arquivar cada edição. A tecnologia veio para ser um complemento da revista de papel, um apoio para que as editoras apresentem seus produtos a um número cada vez maior de internautas e criem soluções aos leitores.
Entretanto, o papel tem algo de poesia que todas as pessoas carregam no coração.
Se o seu computador quebrar, se o seu provedor sair do ar, com a revista de papel em mãos você poderá ler a matéria... Infelizmente, a melhor tecnologia, às vezes, falha.

6) Para quem está ou pretende entrar no mercado, como jornalista gastronômico, que conselhos você daria?

- Que estude bastante o segmento de alimentação, tanto o varejo quanto o food service. São realidades diferentes: no varejo, ele escreverá para o público final, o cliente. No food service, suas matérias serão para os proprietários e colaboradores que trabalham em restaurantes, bares, botecos, padarias, churrascarias, pizzarias, fast-foods, cozinhas industriais etc.
A abordagem é mais gerencial. Oriento esses jornalistas que ingressem em um curso técnico, de graduação ou pós-graduação em gastronomia, pois esta é uma área bastante complexa.

7) Qual literatura você indicaria, para um bom entendimento, aos interessados por negócios em gastronomia?

- Um livro de cabeceira para o estudante de gastronomia: Cartas a um Jovem Chef: Caminhos no Mundo da Cozinha, de Laurent Sauadeau. É uma obra-prima deste chef aclamado pela competência e dedicação à gastronomia. Um livro indicado tanto para profissionais que estão começando no mundo da cozinha quanto para apaixonados pelo universo da refeição fora do lar.
Não necessariamente nesta ordem, indicaria também os seguintes livros:

- O restaurante: conceito e operação. De John R. Walker e Donald E.Lundberg. Bookman Editora. Tel.: (51) 3330-3444 – 0800-703-3444.

- Como montar e administrar bares e restaurantes. Editora Senac SP. eds@sp.senac.brhttp://www.editorasenacsp.com.br/.

- Arte e Ciência do Serviço. De Heinz Beck; Umberto Giraudo; Simone Pinoli e Marco Reitano. Editora Anhembi Morumbi.

- Marketing para bares e restaurantes. De Percival Maricato. Ed. Senac Nacional. editora@senac.br – http://www.senac.br/.

- Restaurantes – Controlando Custos e Aumentando Lucros. De Célia Silvério Vaz. celiasilverio@hotmail.com.

-E, claro, o site da revista Gourmet & Food Service http://www.revistagourmetefoodservice.com.br/
que apresenta todas as suas edições, gratuitamente, para o leitor pesquisar.

Wagner Sturion é editor-chefe das revistas Gourmet & Food Service, Leite & Derivados, Aqüicultura & Pesca e Revista Nacional da Carne, publicadas pela Brazil Trade Shows.
Jornalista, professor e palestrante no segmento food service, tem como foco de suas apresentações o marketing e o atendimento em casas de alimentação.
É formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep). Cursou pós-graduação em Gestão de Negócios em Serviços de Alimentação, com formação de docente para o ensino superior, no Senac SP. Tel.: (11) 3234-7753 Brazil Trade Shows wagner.sturion@btsp.com.br
Cel.: (11) 9659-7080 stube@uol.com.br
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Lia a Marcela Tulmann


Meninas e meninos, nestes locais ainda não fui pessoalmente, mas conheço quem lá esteve, e as referências são as melhores, então com a ajuda da minha amiga Daniela Dantas, mais dicas natalinas
Restaurantes Lia Jockey, na sede do Jockey Club, e Lia Giorno, no Shopping Jardim Sul, este último notório pelas ceias, fazem um menu fechado para a ceia.

No Lia Giorno, do Shopping Jardim Sul, são encomendados muitos pratos de Natal. Entre os mais vendidos está o peru assado com recheio de farofa de castanhas portuguesas e legumes orgânicos assados, o peito de peru assado com uvas frescas e vinho Chardoney, o cuscuz marroquino com ervas, essência de romã e romãs frescas, o pernil de porco na cachaça e rapadura, o peru com feijão branco e o pernil de vitela com essência de romã e romãs.
Os doces mais pedidos são o Pavê de Natal, que leva zabaglione, damascos, passas, ameixas e vinho do porto, coberto com cerejas frescas, e o Pavê Lia, com Amarula, cerejas negras francesas e nozes.

Lia Tulmann Gastronomia & Eventos
tels:94855237-Lia
31012686-Marcela- Jockey Clube-centro
37421953-Patricia-Escritório Central
95050271-Ana-Coordenadora de Eventos
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

CESTAS DE VINHOS NA ROSTICCERIA PAOLA DI VERONA

Meninas e meninos,

Nesta época, e ainda bem que assim é, temos ao nosso dispor vários locais que nos atendem para ceias e brindes.
Minha amiga Annete Conradi, pede para avisar que a Rosticceria Paola di Verona monta sua cesta de vinhos, de acordo com seu desejo.

A Rosticceria Paola di Verona, no mercado há mais de 25 anos, oferece Cestas de Vinhos para presente de Natal que podem ser montadas conforme o gosto do cliente. Sua enoteca possui variados rótulos que englobam vinhos, vinhos do Porto, champagnes e licores, vendidos com a devida orientação dos sommeliers por uma excelente relação custo-qualidade, à partir de R$ 31,00. As cestas também podem vir acompanhadas por massas secas e molhos feitos na casa, frutas secas, queijos, conservas.
A Rosticceria Paola di Verona fica na Alameda Lorena, nº 1160 – Jardins.
Tel: 0800 109330 ou 3061-5453.
Horários: das 10h às 18h, de terça a sábado.
Estacionamento com manobrista gratuito.
Ambiente climatizado; atendimento personalizado; serviço de encomendas (montagem de pirex, etc.); assessoria para a organização de jantares e eventos.
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Sala Premier Cinemark Cidade Jardim ganha combinação de Prosecco e petisco com toque de azeite

Meninas e meninos,

As direções do Cinemark e World Wine, convidaram jornalistas especializados, críticos em enogastronomia, eu dentre eles, para mais uma vez atestar uma novidade da vitorioso parceria.


"World Wine lançou a inédita combinação de Prosecco Mionetto di Valdobbiadene Brut e pipoca com cobertura de azeite, um combo exclusivo das Salas Premier do Cinemark Cidade Jardim."

A World Wine, uma das três maiores importadoras de vinhos finos do país, traz ao cardápio VIP da Sala Premier do Cinemark Cidade Jardim uma combinação inusitada e saborosa: o mais refinado espumante italiano, o Prosecco Mionetto di Valdobbiadene Brut acompanhado por pipoca com cobertura de azeite. O combo estará disponível ao público por R$37,00. A novidade faz parte da parceira entre o Cinemark e a World Wine, que oferece, desde Agosto, rótulos que podem ser consumidos nas dependências do cinema.
“Com apenas quatro meses de parceria, a World Wine celebra o sucesso que obtivemos juntamente com o Cinemark. Temos uma enorme satisfação em oferecer esse produto exclusivo, para trazer ainda mais sofisticação ao cardápio VIP”, afirma Fabiana Coelho, gerente de marketing da World Wine.

Atualmente, os frequentadores das salas Premier do Cinemark têm à disposição rótulos da World Wine, que podem ser consumidos tanto no lounge quanto na sala de projeção. Em função da qualidade e da variedade do portfólio da World Wine, os vinhos são trocados periodicamente para que os clientes tenham a oportunidade de conhecer e degustar vinhos que harmonizem com o cardápio especial das Salas Premier. Além disso, em ocasiões especiais há degustações com a presença de produtores e sommeliers da World Wine. As duas salas somam 224 poltronas de couro reclináveis, assentos love seat e um outro diferencial: mesa individual e apoio para os pés.
A World Wine, criada em 1999, é uma das três maiores importadoras de vinhos finos do país e conta com mais de 100 produtores exclusivos de 15 países, num total de 1.200 rótulos. Possui duas lojas próprias nos bairros paulistanos dos Jardins e Brás e uma em Ribeirão Preto, no interior do Estado, além de lojas parceiras em Porto Alegre e Joinville.

A World Wine atende clientes de todo o Brasil pelo Televendas (11 3383-7477) e pelo site http://www.worldwine.com.br/.
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Jantar com o presidente do Jockey Club de São Paulo

Meninas e meninos,
Fui convidado para estar presente entre os convidados de um agradável jantar na casa de Márcio Toledo, que além de presidente do Jockey Club de São Paulo, é empresário da área de Wine & Food.
Márcio recebeu a todos, acompanhado de sua esposa Paula Hellmeister, para um jantar harmonizado com os vinhos que sua empresa TradeBanc Wine & Food, está importando da Itália, mais especificamente da região de Abruzzo.
Azienda Marramiero, Azienda Masciarelli, Azienda Vitivinícola San Lorenzo, Cantine Dragani, são algumas das vinícolas que estão recém chegando ao Brasil.
Dentre os vinhos, alguns dos que mais me agradaram, foram os brancos e rosados servidos:
-San Lorenzo Biancoluce I.G.T- 70% Trebbiano 30% Montonico com estágio de 14 meses em barril., um vinho mais sério.
-San Lorenzo Chioma di Berenice Chardonnay I.G.T este sem madeira, leve e refrescante.
-San Lorenzo Rosato I.G.T-50% Montepulciano 50% Cabernet Sauvignon com 13% de álcool e muito floral e frutado, levando à um leque grande de harmonizações.
TradeBanc Wine & Food
Al Lorena,638 8º
3887-2902
Beatriz Alves beatriz@tradebanc.com.br
Kátia Reis comercial@tradebanc.com.br
Na foto, eu entre as belas Rejane Rodas consultora de vinhos e a sommelière da By Abruzzo Beatriz Alves.
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

By Abruzzo- The Italian Griffe

Meninas e meninos,
Recebi convite do Franco Marchetti, presidente, e das minhas amigas Beatriz Alves e Kátia Reis para conhecer mais sobre o trabalho do escritório da By Abruzzo, responsável por difundir a região que conta com atrações como a bela gastronomia, os vinhos e o turismo.
Em uma degustação no mercado municipal, tive a oportunidade de provar os vinhos da Cantine Dragani:
Degustei seu Dragani Trebbiano D’Abruzzo D.O.C e o Dragani Montepulciano D’Abruzzo D.O.C


Trebbiano:
Uvas: Trebbiano - 90% e Malvasia- 10%.
País: Itália.
Região: Caldari di Ortona, Chieti, Abruzzo.
Produtor: Cantine Dragani Srl.
Safra: 2007.
Graduação alcoólica: 12%.
Elaboração: Tanque de aço inox.
Volume: 750ml.
Temperatura de serviço: 08/10°C.
Cor Amarelo palha com reflexos verdeais.
Aromas Cítricos, maçã, pêssego, mel.
Leve e fresco.

Montepulciano
Uva: Montepulciano.
País: Itália.
Região: Caldari di Ortona, Chieti, Abruzzo.
Produtor: Cantine Dragani Srl.
Safra: 2007.
Graduação alcoólica: 12,5%.
Elaboração: Tanque de aço inox.
Maceração: Durante quatro dias.
Volume: 750ml/ 375ml/ 250ml.
Temperatura de serviço: 16/18°C.
Cor Vermelho rubi com reflexos violáceos.
Aromas frutaods de Cereja, amora, especiarias.
Médio corpo, com taninos macios, equilibrado.

Na foto da esquerda para a direita:
Luciana Maricato, Alex Batista e a sommelière Beatriz Alves
beatriz@tradebanc.com.br
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Speranza é eleita a Melhor Pizza Margherita de São Paulo

Meninas e meninos,
Ainda sobre o 3º Prêmio Paladar, minha amiga Paola Tarallo, representou a família que vem há 50 anos nos brindando com sua Cantina Speranza, ao receber o prêmio de melhor pizza Margherita da cidade.
A escolha foi feita por jurados especialistas, que visitaram os restaurantes e provaram os pratos sem se identificar. Esse quesito foi o único em pizzas da premiação deste ano, promovida pelo Caderno Paladar do Jornal O Estado de S. Paulo. Paola Tarallo recebeu o prêmio das mãos do Diretor de Conteúdo do Grupo Estado, Ricardo Gandour. Em seguida, o ator Dan Stuback, apresentador da cerimônia, revelou à platéia que a Speranza é sua preferida e que fora apresentado à pizzaria pelo ator Paula Autran, assíduo freqüentador da Speranza por décadas.
Este é o quarto prêmio conquistado pela Speranza em 2008, ano em que comemora o cinqüentenário de fundação. Foram eles: Melhor Pizzaria da Cidade pela revista GoWhere (votação dos leitores), Campeã das Campeãs pela revista Gula (leitores e jurados convidados) e Melhor Pizza de Mussarela pela revista Época S. Paulo edição especial O Melhor de São Paulo.
Na festa de premiação, comemorando a premiação a Paola me disse que a ceia de Natal da Speranza, terá o menu criado por Mônica Tarallo, com toques contemporâneos mesclados com receitas tradicionais de sua avó, dona Speranza, a criadora da cantina. Será servido de forma contínua – ou seja, todos poderão experimentar todos os pratos, à vontade - por um preço fixo por pessoa.

Menu de Natal Speranza
Entrada:
Mesa farta de antepastos frios, saladas e conservas finas.

Pratos principais
Lasanha branca recheada de braciolas fatiadas e molho ao sugo.
Nhoque ao pesto com nozes picadas.
Peixe assado ao azeite e alecrim.
Cabrito Alla Nonna, acompanhado de arroz com ervas finas.

Mesa de frutas secas

Mesa de frutas frescas da estação

Mesa de doces da Nonna:
Strufolli (bolinhas de massa branca frita, cobertas de mel e confeitos de chocolate e coloridos).
Pastiera di Grano (sobremesa clássica da Speranza, trazida ao Brasil pela família Tarallo).
Pêssego em calda com creme napolitano e sorvete de manjericão.
Unidade Moema
Av. Sabiá 786
Fones: (11) 5051-1229 / 5051-7615
Unidade Bixiga
Rua 13 de Maio 1004
Fones: (11) 3288-8502 / 3288-3512
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Prêmio Paladar

Meninas e meninos,
A festa do 3º Prêmio Paladar estava recheada de personalidades da gastronomia, críticos e analistas consultores da área, gente ligada à enogastronomia como este que vos escreve, editores de revistas e jornais.
Hoje no caderno Paladar, o gentleman Luiz Horta faz uma interpretação dos vinhos que podem acompanhar a gastronomia que foi julgada no prêmio.
Como em harmonização, o vôo mais baixo é ao nível do tampo da mesa de jantar, proponho duas ousadias.
Em cerca de 50 pratos o Luiz, que é fera, assinalou tudo ou quase tudo que eu mesmo faria, mas, proponho a experiência de harmonizar a Vellutata de Tomate do Emiliano com um espumante Moscatel, bem brasileiro, que os temos muito bons.
Para o Filé Alpino do Caverna Bugre, que tal um branco, quem sabe um Riesling? Ou ainda um Chardonnay do velho mundo com alguma madeira.
Quanto ao Cupim com Purê do D.O.M, parabéns Luiz, creio que nesta harmonização, você
arredondou qualquer aresta que ainda tivesse.
Para saber mais sobre os pratos e harmonizações
www.estadao.com.br/paladar
A foto é do Gildo Mendes
A apesentação dos premiados foi feita pelo ator Dan Stuback
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Samichlaus a cerveja do Papai Noel no FrangÓ Bar

Meninas e meninos,
Como minhas amigas Tatiana e Camila da Bier & Wein sabem que nem só de vinhos vive um engenheiro, pediram para avisar desta novidade que passo a relatar.

Chope da austríaca Samichlaus, a cerveja do bom velhinho, essa rara especialidade que é a Lager mais forte do mundo com 14% de teor alcoólico, chega pela primeira vez ao Brasi na versão chope, em apenas oito barris. O primeiro será aberto no dia 06 de dezembro, dia de São Nicolaus. Inicialmente produzida pela cervejaria Hürlimann, Suíça e desde 2000 pela Cervejaria Schloss Eggenberg, Áustria, a Samichlaus é fabricada apenas uma vez ao ano, no dia 06 de dezembro. É nesta data que se celebra o dia de São Nicolaus - Santa Claus ou, como conhecemos por aqui, Papai Noel. Envelhecida por 10 meses antes do engarrafamento, a Samichlaus é uma rara especialidade de cerveja, com 14% de teor alcoólico, o maior do gênero Lager, tendo sido listada no Guinness World Records. A Samichlaus não tem prazo determinado de validade e continua maturando na garrafa/barril. Como as tradicionais cervejas Vintage, com o passar do tempo seus aromas se tornam ainda mais complexos e com um paladar cremoso e acalentado. É ideal para acompanhar pratos robustos, sobremesas à base de chocolate e para ser apreciada após as refeições.
SAMICHLAUS CLASSIC:
· Cor: âmbar-marrom, brilhante e profunda.
· Aroma: complexo, rico em castanha, uva passa, fumo e malte.
· Paladar: potente, rico em malte, inicia adocicado, com acabamento semi-seco e retrogosto seco.
· Tipo: Strong Lager (baixa fermentação) Teor alcoólico: 14%

Promoção Bier & Wein e Frangó
O primeiro barril de Samichlaus será aberto no dia 06 de dezembro - dia de São Nicolaus - e no decorrer de duas semanas (de 6 a 20 de dezembro de 2008), a cada taça de Samichlaus consumida, o cliente receberá um cupom que lhe dará o direito de participar de um sorteio especial, que inclui uma exclusiva garrafa Magnun de 3 litros da cerveja Samichlaus e 4 caixas com seis garrafas de 330ml da Samichlaus Helles - versão clara da cerveja Samichlaus (1 prêmio por cupom, totalizando 5 ganhadores). O sorteio será realizado no dia 23 de dezembro no Frangó e os nomes dos vencedores serão divulgados no Blog da Bier & Wein Importadora
http://www.buw.com.br/
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Laboratório Paladar-Técnica a Serviço do Sabor

Meninas e meninos,
Estive presente à premiação do Estadão, o Paladar 2008.
Lá estavam amigos ligados aos vinhos e à gastronomia numa festa espetacular.
Parabéns aos organizadores, em particular aos editores do caderno Paladar: Ilan Kow; Luiz Américo Camargo; Patrícia Ferraz (que me foi apresentada pelo amigo Ennio Federico) e ao gentleman e amigo Luiz Horta.
Prometo falar mais do prêmio em outra matéria, mas o que me levou a esta foi a premiação muito interessante, o Laboratório Paladar-Técnica a Serviço do Sabor, categoria que levou a Chef Helena Rizzo ao pódio.
O restaurante Maní concorreu na finalíssima com os feras: D.O.M; Brasil a Gosto; Mocotó; Tordesilhas; preciso dizer mais?
Na foto que ilustra esta postagem, vemos a Helena Rizzo (alguma menina deu-lhe um beijo com batom) em um jantar realizado por ela recentemente no Consulado de Portugal, e que foi alvo de matéria já postada.
Aplaudida por todos, mas pelo ângulo da foto aparecem Suzana Barelli, Ricardo Bohn Gonçalves e quase de costas o Horst.
Parabéns ao Maní, e ao casal Helena Rizzo e Daniel Redondo.
Parabéns Consulado e AICEP pela escolha da Chef
Parabéns Fernanda Fonseca, costureira mor do jantar.
http://www.restaurantemani.com.br/
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Palestra e Degustação com o enófilo Dr. Mario Telles Jr.

Meninas e meninos,
Tenho convites todos os dias, às vezes até mais do que um em cada período, e nem sempre posso atender a todos.
Falo isso para comentar que quando a Fernanda Fonseca, assessora das mais competentes, enviou um "Save the Date", para 25/11 no Consulado Português, se eu não tivesse o cuidado de cancelar outro compromisso nesta data e horário, eu teria perdido uma oportunidade ímpar de estar com amigos e degustar, além do magnífico jantar perpetrado pela linda Chef Helena Rizzo, do restaurante Maní, os mais exuberantes caldos reunidos de uma só vez pelo amigo Mário Telles.
A oportunidade nos foi concedida pelo Cônsul Geral de Portugal em São Paulo, Sr. José Guilherme Queiroz de Ataíde, e a Viniportugal.
Vamos aos vinhos, que foram todos degustados ao sabor das explanações do Mário:
Para começar, fomos recepcionados com o belo espumante 3B-Bairrada-da Felipa Pato, acompanhando as entradinhas(no diminutivo por causa do tamanho das porções, e não pela magnitude dos acepipes).
1-Morgadio da Torre Alvarinho 2007-Vinho Verde-Sogrape, com uma fruta, principalmente pêra de encantar.
2-Quinta do Corujão Grande Escolha 2004-Dão, que após algum tempo em taça, mostrou a pujança das Touriga Nacional e Tinta Roriz.
3-Lagoalva de Cima Syrah 2005-Ribatejo, com um floral intenso, frutado e leve pimenta do reino.
4- Paulo Laureano Alicante Bouchet 2005-Alentejo, que foi para mim o 2ºvinho que mais gostei, e dispensa apresentações devido ao enólogo premiado.
5-Quinta do Crasto Touriga Nacional 2005-Douro, que minutos antes comentávamos de sua conquista do 3ºlugar dentre os 100 melhores do ano, pela WS, e que não só na minha opinião foi o mais aplaudido desta seleção.
6-Moscatel de Seúbal Roxo Quinta da Bacalhoa 1997-a magnífica surpresa como vinho de sobremesa, como bem disse o Mário, sua predileção.
Só para completar e deixá-los com mais água na boca, com a Brandede de Bacalhau com geléia de pimentões degustamos o Redoma Branco Reserva 2005-Nieport-Douro.
Com Carne de Sol à Bráz com palha de mandioquinha, Touriga Nacional/Pinot Noir 2004 Casa Santos Lima-Extremadura.
Magret de pato com mangas e rosas o Zambujeiro 2003 Quinta do Zambujeiro-Alentejo, que para mim foi a melhor harmonização da noite.
E para completar, Sorvete de gemas com espuma de côco e coquinhos crocantes com o Madeira Justino Old Terrantez-Madeira.
Preciso falar mais?
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Dom Robertto Merlot 2005, você tem que experimentar.

Meninas e meninos,
Volto a falar de uma vinícola que tem me surpreendido a cada vinho que degusto.

Estou falando da Dom Robertto Vinhos Finos, desta feita, com o seu Merlot 2005.
Já escrevi sobre seu Cabernet Sauvignon e seu Chardonnay, apesar de também ter degustado o Merlot anteriormente, e este não me agradar tanto como agora.
Como eu sempre digo, e faço, nunca experimento uma única vez os vinhos, porque em um dia aquela garrafa específica pode não estar tão adequada, numa segunda vez, é o degustador que não está tão bem, portanto sobrando o desempate para a próxima degustação.
Foi o que aconteceu comigo e o Merlot.
Na minha concepção, por mais diferente que este se expressasse, não poderia ser inferior aos outros vinhos da casa, que me agradaram e muito. Pois bem, dei tempo ao tempo, guardei uma garrafa em condições ótimas, e dei um descanso de dois meses ao líquido.
Quando degustei, logo percebi aquela acidez pronunciada característica destes rótulos, mas após algum tempo quando ele se abre, que profusão de aromas e gostos.
Fiz uma harmonização dia destes de gastronomia Indiana e vinhos Chilenos, para mostrar que temos inúmeras possibilidades de adequar ao paladar os mais exóticos e mais difíceis pratos, e o resultado foi esplêndido e aplaudido por todos.
Mas prometi a mim mesmo, depois de degustar com calma o Merlot 2005 da Dom Robertto, que farei novamente esta harmonização, usando desta feita os rótulos desta vinícola.
Como disse, acidez não falta, mas o conjunto de especiarias, principalmente cravo, com algo de chocolate amargo e um floral evidente faz deste Merlot o companheiro ideal das iguarias complexas em especiarias, sabores e aromas.
Atenção, deixe respirar após abrir ao menos meia hora, para que toda a potencialidade deste belo exemplar aflore, e sirva-o com uma temperatura ao redor dos 15ºC.
Um pouco da maneira de vinificar da Dom Robertto está descrita abaixo.

O vinhedo é conduzido em espaldeiras, encontram-se na encosta norte da Serra do Sudeste (São Sepé-RS). Sua localização geográfica e microclimática privilegiadas.
Sua colheita é sempre realizada manualmente, nas primeiras horas da manhã.O processo de vinificação baseia-se numa receita familiar passada de geração a geração há mais de 150 anos, apoiando-se nos mais altos e avançados padrões tecnológicos e científicos.A separação das uvas do ráquis (desengace) é feita em, no máximo, 4 horas após a colheita, garantindo a máxima expressão das características varietais. A fermentação é natural da fruta e se desenvolve em pipas de aço inoxidável de 2.000 litros sob controles diuturnos, possibilitando maior homogeneização e cuidados do produto e da temperatura. Sua maturação é feita em barris de carvalho francês e americano. Sua produção é limitada entre 10.000 e 15.000 litros por safra/cultivada.O envelhecimento ocorre em garrafa, por um período mínimo de ano e meio.Toda esta dedicação e esmero resultam na máxima expressão da uva, traduzindo-se em vinhos tintos complexos e estruturados, de boa extração de cor, halo violáceo na lente, lágrimas grossas, médio corpo, aroma de frutas vermelhas com toques vegetais de cacau, café torrado e pimentão, boca equilibrada e fresca, taninos adocicados, final de boca vegetal e boa persistência. Os vinhos brancos são aromáticos e frescos com expressões florais e de frutas como maçã verde, maracujá e figo maduro, tons amarelo-esverdeados, agradável, refrescante e intenso ao paladar, com boa persistência no final de boca.
www.domrobertto.com.br
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Espumante Brut Rosé da Cordelier: Mais um vinho para nossa festas

Meninas e meninos,
A Vinícola Cordelier acaba de lançar o o Espumante Brut Rosé.
São somente 6.001(não me perguntem o porque do 1) garrafas, sendo que 25% da produção já foi enviada para o mercado externo, restando apenas 4.500 garrafas.
Gostei da intensidade de perlage, da cor extraída das uvas Merlot, aromas frescos e frutados que lembram as frutas mais vermelhas e maduras, trasendo também algo de floral.
Na boca tem bom ataque e acidez, apesar de não ter uma persistência muito longa, mas devido à acidez e frescor, é um espumante gastronômico também, podendo ser harmonizado com a culinária oriental, o que é ótimo para os dias de verão.
Recomendo o que fiz, e que para meu paladar ficou melhor, que deva ser degustado um pouco acima da temperatura usual para espumantes jovens, devido ter sido extraído da Merlot.
Servido aos 8º estará ótimo
Descontraído, o espumante, inicialmente, estará disponível apenas na loja de vinhos da própria vinícola (54 2102.2310), em Porto Alegre através do telefone (51) 9668.5959 e pelo site www.cordelier.com.br
Outra excelente opção é degustá-lo num happy hour ou num momento de descontração.


O Espumante Cordelier Brut Rosé é obtido pelo Método Charmat Longo. Elaborado a partir de um vinho base da variedade Merlot, safra 2008, ressalta aromas bastante frutados, florais e amanteigados. As uvas são desengaçadas, esmagadas e seu mosto permanece 24 horas em maceração a frio, para melhor extração de aromas, taninos e cor vindos das cascas. No momento em que o mosto flor é retirado, se obtém coloração vermelho-romã, de média intensidade. A condução da fermentação se dá com temperatura controlada e uso de leveduras especialmente selecionadas, durando entre 18 e 20 dias. Após a fermentação, é feita clarificação deste já pronto vinho base. Para a tomada de espuma é adicionada uma pequena quantidade de açúcar e leveduras, dando início ao processo de segunda fermentação, feito em autoclaves com rígido controle de temperatura. Após, o espumante fica o tempo necessário em contato com as leveduras para que aconteça o processo de autólise. Este período pode durar de 45 a 60 dias. Em seguida, o espumante é estabilizado, filtrado e, posteriormente, engarrafado. O espumante ainda fica um período em repouso nas caves, para somente ser comercializado quando estiver no ponto ideal.
Informações: Vinícola Cordelier Vale dos Vinhedos
www.cordelier.com.br
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Brunellos e Rosso de Montalcino no Mercadão

Meninas e meninos,
Meu amigo Giovanni da Vector me convidou para degustar alguns vinhos da Azienda Agrária Talenti, em companhia de Riccardo Talenti.
Ao sul de Montalcino, no povoado de San Ângelo in Colli, se encontra Pian de Conte, sede da Talenti, uma belíssima construção original, ao lado do Rio Orcia. Em 1980 Pierluigi Talenti comprou esta propriedade que o fascinava há longo tempo e que atualmente cultiva com 20 hectares de Sangiovese Grosso e outras uvas típicas e 4 hectares em um bosque de oliveiras.
Degustamos os seguintes vinhos:

1-Rosso Talenti I.G.T. 2006- 60% Sangiovese Grosso; 20% Syrah; 20% Cabernet Sauvignon.
14% de álcool, apresentando antes de abrir totalmente, notas ácidas no nariz e confirmadas
na boca, mostrando o potencial enogastronômico.
Depois de algum tempo, mostrou toda a fruta nele contida.

2-Rosso Di Montalcino DOC 2006 100% Sangiovese Grosso, 14% de álcool, perfumado e frutado desde que colocado na taça, e que foi abrindo sua exuberância em frutas cada vez mais.
Para mim, ótimo pela relação preço x qualidade.

3-Brunello Di Montalcino DOCG 2000 100% Sangiovese Grosso, que passa por barril durante 24 meses. Com todas as características de um vinho envelhecido, oxidado no nariz, mas que na boca não apresentava esta característica, sendo muito encorpado e rico.

4-Brunello Di Montalcino Riserva 1998 “Vigna Del Paretaio”DOCG 13,5% de álcool.Vinho feito somente em grandes anos com pouquíssimas garrafas, em torno de 10.000, passando por barril por 34 messes, e que apesar da idade estava muito frutado ainda e corpulento.
Como disse anteriormente, apesar dos vinhos serem todos muito bons, meu escolhido para esta matéria foi o Rosso Di Montalcino DOC 2006 pela sua relação de qualidade, podendo ser tomado de imediato nestas festas de fim de ano, harmonizando muito bem com as tradicionais ceias.
Os vinhos da Talenti estão com a importadora Grand Cru
http://www.grandcru.com.br/
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

CORRENTE DA SOLIDARIEDADE PARA SANTA CATARINA

Meninas e meninos,

Nestes momentos que antecedem as festas de final de ano, nossos irmãos de Santa Catarina enfrentam uma dura e penosa batalha pela vida.
Não vou repetir aqui notìcias que todos têm lido, ouvido e visto nas mídias, peço apenas que assim como outros blogueiros e sites e ONG'S e cidadãos do bem estão fazendo, que pensem em como melhor ajudar nesta terrível situação.
A foto é de Blumenau, não da desgraça, mas como ela se apresenta quase sempre.
Por que Blumenau?
Porque tenhos amigos que lá moram e penso muito neles.
Recebi de minha amiga Regina Helú, regina@markab.com.br
Markab Comunicação 11-3459-8808 / cel. 11-9896-3166



"Mobilizaçao Geral"

Se vcs tiverem:Cobertores, edredons, colchonetes, roupas (infantis,adultos)brinquedos, eletrodomesticos, Água, mantimentos não perecíveis, etc...


Nossa ideia é mandarmos um caminhão para lá dia 06 de Dezembro

Estamos vivendo um momento trágico em SC.

Muitas pessoas estão sofrendo com a perda de parentes e amigos, bem como de todos os bens que dispunham. Entre essas pessoas temos vários colaboradores da Le Monde. Precisamos ajudá-los. Dos 100 funcionários que o Grupo Le Monde possui nas três lojas que foram impactadas e que estão inoperantes desde o último sábado, dia 22,(Le Monde Citroën Blumenau, Le Monde Citroën Itajaí e Le Monde Multimarcas Balneário Camboriú), mais de 80 foram impactados diretamente. Se somarmos a essas 80 pessoas os seus dependentes diretos, temos mais de400 pessoas totalmente desamparadas. E se formos um pouco mais além, pensando em parentes e amigos, são mais de 1.000 pessoas próximas ao nosso dia-a-dia que precisam de muita ajuda. Até agora, são mais de 100.000 desabrigados e mais de 100 pessoas que perderam suas vidas. Algumas localidades ainda não conseguiram ser atendidas pela Defesa Civil e não se tem a exata noção do tamanho do problema.

Mas precisamos começar a fazer algo desde já. Nesses primeiros dias da tragédia, que ainda persiste em nos acompanhar, fizemos movimentações no sentido de prover a essas pessoas necessidades básicas, como alimentos, produtos de higiene pessoal e roupas. Os colaboradores do grupo Le Monde e seus familiares que não foram atingidos fizeram um grande mutirão, no sentido de enviar donativos àqueles afetados. Estamos buscando atender as primeiras necessidades, enviando água, comida e agasalhos a todos os atingidos. O desafio vai ser depois, quando a água abaixar.

Precisaremos dar muita força para essas pessoas, motivando-as a continuarem suas vidas. Por isso, estamos enviando esse email a vocês, colegas de trabalho e amigos de todas as horas.

Vocês do Banco Citroën, da Citroën do Brasil e de toda a rede de concessionárias Citroën no Brasil, ligaram para nós preocupados com asituação. Que bom notar que não falamos só de negócios. Isso nos sensibilizou muito.Talvez esse seja um bom momento para valorizarmos os pequenos detalhes que fazem nossa vida valer a pena, deixando um pouco de lado os números queperseguimos dia a dia.Sendo assim, gostaria de iniciar um movimento com todos vocês, visando prover algum recurso para essas pessoas que perderam tudo o que tinham.

Nossa intenção é trabalharmos em duas frentes, de modo que todos possam ajudar:

- Apoio material: roupas usadas, eletrodomésticos usados, camas e móveis usados, louças velhas, etc.

- Apoio financeiro: depósito em uma conta-corrente que estamos abrindo nessa semana exclusivamente para esse fim, onde serão coletados valores de qualquer montante. Em relação aos valores recebidos, enviaremos para esse mesmo mailing a prestação de contas dos fundos arrecadados, como também os valores distribuídos a cada família, uma vez que temos pessoas que perderam toda a casa e que precisarão de mais ajuda do que aquelas que perderam coisas de menor valor.

Faremos um levantamento detalhado das necessidades, apontando o tamanho de cada família e o impacto nas suas vidas. Nossa maior dificuldade agora é avaliarmos a gravidade da situação em cada família, em cada lar. Nosso pessoal de RH está fazendo um estudo prévio disso, mas ainda teremos alguns dias até obtermos o raio-x completo da situação. Finalizando, só temos que agradecer a cada um de vocês, pelas manifestaçõesde apoio recebidas até o momento e dizer que nas próximas horas informaremos a todos como faremos para coletar esses donativos. Juntos somos mais forte e juntos saíremos dessa situação.

Vamos em frente.

Nelson, Dorotéia, Nelsinho, Fernando e Rodrigo Füchter Família Le Monde.

"Ainda não encontrei homem algum bem-sucedido na vida que não houvesse antes sofrido derrotas temporárias. Toda vez que um homem supera os reveses, torna-se mental e espiritualmente mais forte...É assim que aprendemos o que devemos à grande lição da adversidade."Andrew Carnegie

Iracema Costa -Marketing - Citroën do Brasil
11 3646.6200 PABX
11 3646.6285 Direto
11 3646.6220 Fax
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão




quinta-feira, 27 de novembro de 2008

CAMPOS DO JORDÃO ABRE A TEMPORADA DO NATAL NA MONTANHA

Meninas e meninos,

Recebo das minhas amigas Valéria Estefam do Cozinha da Montanha e da Dulce do Le Foyer(Chateau La Villette) a notícia que o Natal em Campos do Jordão já chegou e em Novembro.
Tenho sido insistentemente convidado para estar com o grupo, mas por uma destas coincidências, em todas as datas tenho compromissos já agendados, mas aguardem ,vou sem falta ainda este ano à Campos do Jordão, e então nos vemos.


FRUTAS VERMELHAS SERÁ O TEMA DA TEMPORADA GASTRONÔMICA DO
GRUPO COZINHA DA MONTANHA.


A cidade de Campos do Jordão, em São Paulo, pelo quinto ano consecutivo estará realizando o evento Natal na Montanha 2008, com uma programação de atrações que inicia em Novembro e segue até Dia de Reis, em janeiro.
Campos de Jordão está se tornando um polo turístico natalino, pois rodeada pela natureza da bela Serra da Mantiqueira, possui uma arquitetura európeia que torna a decoração natalina ainda mais envolvente, aliada a uma programação cultural diferenciada para entretenimento de adultos e crianças.
Já a partir de 28 de Novembro, o Grupo Cozinha da Montanha - que confere o selo de qualidade gastronômico da cidade - estará lançando a Temporada Gastronômica do Natal na Montanha, do qual participam 22 importantes restaurantes, apresentando pratos especiais e ceias natalinas preparados pelos chefs de cozinha, tendo como tema gastronômico principal as frutas vermelhas, que são cultivadas na região. A exemplo vários tipos de amoras, framboesas e mirtilo, vão enriquecer os pratos salgados e doces da temporada.
Outra atração promovida pelo Grupo chama a atenção do turista. É a exposição de decoração de Mesas e Cardápios Natalinos que acontece no Espaço Telefônica, na Praça do Capivari. Ali, os restaurantes participantes da Temporada Gastronômica montam mesas natalinas que são uma amostra de seus ambientes e apresentam seus cardápios para o Natal e Ano Novo. Assim é possível apreciar a mostra e ao mesmo tempo escolher as ceias e fazer a reserva antecipada nos restaurantes.
Esperada por crianças e adultos a Casa do Papai Noel, não pode deixar de ser visitada. Uma casa de 200 metros quadrados, na avenida principal da cidade no bairro de Capivari, todo ano é totalmente transformada e decorada em seus vários ambientes por artistas e decoradores, para receber o Papai Noel que estará presente todos os finais de semana de dezembro divertindo a criançada e recebendo cartinhas. Várias atividades com orientadores e um bazar de natal acontecem na casa temática.
Os hotéis e pousadas da cidade estão antecipando as promoções para o período - a partir de Novembro - com preços diferenciados, alguns incluindo as ceias de final de ano que acontecem nos restaurantes do festival gastronômico.
A Prefeitura e a Secretaria de Turismo prepararam uma programação cultural com espetáculos de luzes, apresentações de corais de Natal e conjuntos musicais nas praças e igrejas, todos os finais de semana de Dezembro.
Para conferir a programação completa do Natal na Montanha de Campos do Jordão vale acessar os sites:
http://www.cozinhadamontanha.com.br
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Hebe Camargo presente no Les Chefs et Décours 2008

Meninas e meninos,
Para falar mais um pouco do que foi a festa da enogastronomia e decoração promovida pelo Projeto Velho Amigo-PVA, nada melhor que a foto acima.

Na foto da esquerda para a direita, o casal Sergio Waib e Regina de Moraes, Hebe Camargo e o maestro João Carlos Martins.
Hebe Camargo, e como ela mesma disse, "Que gracinha eu ganhar este sorteio, pois adoro o maestro", foi sorteada com um Box contendo as músicas sob interpretação magistral do maestro João Carlos Martins, que como disse em matéria anterior, abrilhantou a festa este ano.
Sob olhares invejosos a sempre sorriso, Hebe posou para a foto exibindo o precioso prêmio, um dos muitos que foram sorteados entre os presentes.
O PVA que tem como missão:
"Contribuir para a cultura de inclusão do idoso, assegurando seus direitos e valorizandoa sua participação na sociedade”.
As instituições abaixo estão no site do PVA com maiores explicações.
Fraternidade de Aliança Toca de Assis
Casa dos Velhinhos de Ondina Lobo
Sanatório da Divina Providência
Lar do Idoso Augusto Neves
CEPIM- Centro de Proteção à Infância e Maternidade
Sociedade de Beneficência e Assistência Lar das Mãezinhas
Torne-se você também um colaborador.
A foto é de Renato Rebizzi: tel 8399-1313
PVA Projeto Velho Amigo:
www.projetovelhoamigo.com.br
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Vinho Antis Reserve Cuvée Mendoza 2004 recebeu prêmio em competição internacional realizada no Brasil

Meninas e meninos,

Recebi a noticia da minha linda amiga Alessandra Casolato, sobre esta importadora e este vinho, que chegam ganhando medalhas em nosso país., como sei que ela é do ramo, repasso para vocês a notícia!

O IV Concurso Internacional de Vinhos do Brasil foi realizado no período de 3 a 6 de novembro de 2008 e reuniu 51 degustadores de nove países, sendo 35 brasileiros, além de representantes da Alemanha, Argentina, Chile, Espanha, França, Itália, Portugal e Uruguai


Porto Mediterraneo chega ao mercado com medalha de ouro
no IV Concurso Internacional de Vinhos do Brasil.
Com pouco mais de um ano de existência, a importadora Porto Mediterraneo chega ao mercado comemorando de Medalha de Ouro para o vinho Antis Reserve Cuvée Mendoza 2004 conquistada no IV Concurso Internacional de Vinhos do Brasil, uma das premiações mais importantes do País realizada a cada dois anos pela ABE - Associação Brasileira de Enologia.
Corte das uvas Merlot, Malbec e Cabernet Sauvignon, com 14 meses em barricas de carvalho francês de primeiro uso, o Antis Reserve Cuvée Mendoza 2004 apresenta bastante corpo e intensa coloração rubi púrpura. Com aroma profundo de ameixas maduras e frutas vermelhas, na boca apresenta camadas de frutas escuras maduras e cacau. É muito bem balanceado, com taninos equilibrados e um longo e prazeroso final.
Sobre a Porto Mediterraneo
Com sede em Santa Catarina, a Porto Mediterraneo é especializada na importação e distribuição de bebidas e alimentos finos. A empresa está sempre atenta à qualidade, desde a seleção de fornecedores, bem como transporte e armazenamento, mantendo 100% dos vinhos estocados em depósito climatizado.
“Buscamos trabalhar com produtores de pequeno e médio porte que conseguem elaborar produtos mais exclusivos e de alta qualidade”, explica Julio Schmitt, sócio-diretor da empresa.
Todos os produtos importados pela Porto Mediterraneo são previamente selecionados e aprovados por especialistas no Brasil, passando por uma criteriosa análise técnica e comercial.
Além das argentinas Antis, Cavas de Los Andes e Lariviere Yturbe, atualmente a importadora conta com as marcas chilenas Antuco e Surazo, e investe na busca de fornecedores ao redor do mundo que atendam os padrões de qualidade estabelecidos pela empresa.
Porto Mediterraneo
(47) 3263.0006
http://www.portomediterraneo.com.br
Mais informações para a imprensa:CH2A Comunicação (11) 3253.7052
Alessandra Casolato
celina.cardoso@ch2a.com.br
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

ESPAÇO GOURMET BLUE VILLE RECEBE JORNALISTAS PARA ALMOÇO ESPECIAL

Meninas e meninos,
Quando fui convidado para o jantar de inauguração do Espaço Gourmet Blue Ville, onde fomos recebidos com carinho, mimos e bela gastronomia, fiz refeência ao espaço em minha matéria, como sem dúvida um tiro certo no alvo do sucesso.
Agora, confirmo minha previsão, quando lá voltamos, para um almoço com jornalistas da área de gastronomia e eu de enogastronomia, para apreciar um menu que leva o arroz como estrela, participando do prato principal.
O menu escolhido pelo chef da Blue Ville, José Eduardo, apresentou o arroz árabe e cordeiro, harmonizado com os vinhos da importadora Ville du Vin. A sobremesa arroz-doce foi outra atração muito apreciada entre os convidados, uma criativa combinação de arroz branco e arroz de Laranja, da linha Coloridos, da Blue Ville. O novo espaço gastronômico chega à Alphaville depois de consolidar o sucesso do modelo em Porto Alegre (RS), que completou 10 anos.

Durante o evento, para os jornalistas que ainda não haviam tido a oportunidade de conhecer toda a linha de produtos, estes ficam expostos na também primeira loja-conceito da marca Blue Ville, instalada ao lado do espaço gourmet, onde todos os produtos da empresa podem ser encontrados, desde as 37 variedades de arroz, até feijão, lentilha e a pipoca Cinema, que já vem na embalagem-caixa usada nos cinemas, além dos sucos de frutas, com a marca Frututti. O presidente da Santalucia/Blue Ville, Maurivan Dal Ben, aproveitou a ocasião para contar aos convidados a expansão na região sudeste, além da constante busca de inovações destinadas não só ao aperfeiçoamento da tecnologia de produção do arroz, como também para oferecer produtos de excelente qualidade ao consumidor final.

A Blue Ville é a marca que nasceu na Santalucia S.A., fundada em 1983, na cidade de Camaquã (RS). Possui quatro plantas industriais - três em Camaquã e uma em Recife (PE) - e quatro CDs (Centros de Distribuição): em Camaquã (RS), Alphaville-Barueri (SP), Salvador (BA) e Recife (PE). A empresa produz mais de 130 mil toneladas/ano do cereal e em 2008 estima crescer 20%, resultado de investimentos na expansão e de recursos que dispõe do BNDES. Segundo o presidente da Santalucia, Maurivan Dal Ben, “a criação de nichos de mercado em um segmento em que o produto é uma commodity faz da marca Blue Ville a verdadeira grife do arroz”.
Na foto temos: O diretor de Vendas, Silmar Fernandes, o chef José Eduardo com o
presidente da Blue Ville, Maurivan Dal Bem (Da esquerda para a direita).
A programação dos cursos do Espaço Gourmet Blue Ville e outras informações sobre a empresa podem ser encontradas no site http://www.blueville.com.br
Espaço Gourmet Blue Ville
Alphaville - SP - Alameda Surubijú, 1688
Inscrições: espacogourmetsp@blueville.com.br
Fone (11) 4208.7000

Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Les Chefs et Décours 2008- Projeto Velho Amigo


Meninas e meninos,
Mais um sucesso de realização com o Les Chefs et Décours 2008.
O Projeto Velho Amigo contou este ano com o maestro João Carlos Martins e suas incríveis força de vontade e talento, para dar mais brilho ao evento.
Pessoas das mais destacadas em suas atividades, artistas e profissionais de talento, convidados ilustres e simpatizantes do PVA, perfazendo mais de 1200 pessoas, estiveram no dia 10 de Novembro na Daslú, para engrandecer esta festa e arrecadar fundos para os projetos dedicados ao idoso, mantidos pelo Projeto Velho Amigo.
Fazer parte desta equipe, mesmo contribuindo pouco como eu, faz de mim, uma pessoa mais feliz.
Neste ano, não tivemos a presença de vinícolas brasileiras como no ano passado, por uma opção da diretoria, que quis testar um modelo novo, deixando a harmonização entre gastronomia e vinhos, aos cuidados dos profissionais que trabalham nas importadoras,
que tiveram a liberdade de trazer seus vinhos e harmonizá-los com as mesas de gastronomia próximas.
O trabalho que desenvolvi neste ano foi muitas vezes menor, tendo indicado as importadoras em uma listagem que servirá para futuros convites para os próximos anos, pois já não se admite mais esta festa sem a enogastronomia, como bem disse a presidente do PVA Regina de Moraes, em entrevista ao apresentador Amaury Jr.
Aos amigos das importadoras que atenderam ao meu convite, e se empenharam para o brilho da festa meus agradecimentos.
Aos que ainda não puderam participar, aguardem, pois temos lugar para todos, mas aos poucos, já que fisicamente temos limitações.
Agradeço também às lindas meninas do PVA, e ao meu amigo fotógrafo Renato Rebizzi.
Fotografia Rebizzi
11 8399-1313
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Paulo Caruso afina sua música e o seu humor com os vinhos.

Meninas e meninos,
Estive ontem novamente, depois de muitos tempo, em companhia de Paulo Caruso, caricaturista de traço aguçado, além de músico pleno.
Ele e o irmão Chico, gêmeos na vida e na arte, compõem dupla das mais humoradas na música.
Paulo, agora enófilo de carteirinha, tem se dedicado também aos vinhos, o que com certeza dará ao seu cotidiano um brilho a mais.
Paulo Caruso tem ligações afetivas com Águas de São Pedro, cidade do interior do estado de São Paulo, onde alguns anos atrás foi um dos idealizadores do Águas Jazz Fest & Food festival de jazz e gastronomia.
A idéia é muito próxima da que eu e meus parceiros do Adorável Gula, tentamos implementar no circuito das águas paulista (até as águas coincidem....).
Boa gastronomia, boa música e bons vinhos causam acalento ao corpo e ao espírito.
Bom papo, bom humor e bons tragos não faltaram à conversa, e desde já os Caruso, Paulo e Chico, estão convidados para um encontro enogastronômico em nosso espaço da Oficina de Culinária.

Alô Silvio Lancellotti, que tal um novo encontro?
Como é bom saber que o vinho proporciona estes momentos, aliás, digo sempre que uma das maiores virtudes deste líquido dos deuses é o de ser gregário.
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Cerveja brasileira é ouro no European Beer Star 2008

Meninas e meninos,
Minhas amigas Lisandra Coimbra e Cris Bielecki, me avisam de mais uma conquista da nossa indústria cervejeira.
Todos devem estar lembrados da matéria que fiz quando do convite que recebi para presenciar o lançamento da Cerveja Demoiselle da cervejaria Colorado de Ribeirão Preto.
Pois é, agora a Demoiselle ganhou um importante premio, foi a grande finalista do famoso campeonato europeu que utiliza “teste cego” para eleger seus vencedores. Este ano, o evento teve participação recorde e inscritos vindos dos cinco continentes. O European Beer Star 2008 contou com a participação recorde de 688 rótulos, vindos de 17 países, todos submetidos a “teste cego” por um time de experts da Faculdade Cervejeira de Doemens, de Gräfelfing. A brasileira Demoiselle, da Cervejaria Colorado, foi medalha de ouro na categoria Porter, vencendo importantes e conhecidas marcas européias nesta prestigiada categoria inglesa. A Cervejaria Colorado, que há 13 anos produz chopp e cervejas Premium em Ribeirão Preto, interior do Estado de São Paulo, já havia recebido menções honrosas, com sua Indica Colorado, destacada como “Cerveja do Ano de 2008” pela revista Prazeres da Mesa e indicação 3 estrelas no Pocket Beer Book de Michael Jackson, e com sua Cauim Colorado, segunda colocada no ranking de melhores Pilsen do Caderno Paladar, do jornal O Estado de S. Paulo, mas essa foi sua primeira premiação internacional.
Os organizadores divulgaram que esta edição do evento registrou 20% no aumento de participantes. As alemãs lideraram as participações com 57% dos rótulos. Os outros 43% foram participações internacionais, incluindo a África, o que ampliou os julgamentos a produtos produzidos pelos cinco continentes. Junto às cervejarias européias, concorreram também cervejarias da América do Norte, Austrália, Brasil, Chile, Colômbia, El Salvador, Peru e Tailândia. Para maiores esclarecimentos,
Lisandra Coimbra

Cris Bielecki
crisbielecki@uol.com.br
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Identificação com símbolo da cortiça.

Meninas e meninos,

Recebi em meu endereço esta notícia, e achei interessante posta-la na íntegra.

"Os consumidores vão poder optar por um vinho com rolha de cortiça. A Confederação Européia da Cortiça (C.E.Liège) vai, a partir de agora, identificar as garrafas com o símbolo da cortiça.Esse era um pedido freqüente dos consumidores. Em todos os questionários realizados com os compradores de vinho, eles diziam que queriam que as garrafas de vinho tivessem informação sobre o tipo de rolha utilizada e assim poderem escolher o vinho de forma mais consciente. Para os produtores, essa decisão irá valorizar seus produtos e contribuirá para a diferenciação positiva junto aos consumidores.A criação desse símbolo irá garantir o reconhecimento e genuinidade dos produtos, já que somente os vinhos que incorporarem a cortiça poderão ter esta marca. É uma forma de identificar as garrafas que utilizam a cortiça e evitar as imitações. O símbolo da cortiça será aplicado em todos os produtos de cortiça, como rolhas, revestimentos, pavimentos, isolamentos, entre outros.A Associação Portuguesa de Cortiça irá lançar uma campanha para promover o símbolo, apresentando as vantagens da utilização da marca cortiça. A Associação também promoverá, juntamente com a União Européia, a obrigatoriedade da colocação de uma etiqueta com informações sobre o tipo de vedante utilizado nos vinhos fabricados em território europeu".
Fonte: http://www.viticultura.org.b/
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Grande campeão do Top 100 da Wine Spectator

Meninas e meninos,

Não aguentei esperar até amanhã para postar o campeoníssimo deste ano da Wine Spectator.
É Chileno, e tem sangue azul.

1º)Casa Lapostolle Clos Apalta- Colchagua Valley 2005 96 points / $75

A Casa Lapostolle é conhecida como a mais francesa das vinícolas chilenas, e com o melhor vinho da bodega, o fantástico Clos Apalta, considerado um dos melhores tintos do Chile, vem recebendo altíssimas notas da imprensa especializada, sendo muito disputado por conhecedores pelo mundo afora.
A bodega foi fundada pela francesa Alexandra Marnier-Lapostolle, herdeira da Grand-Marnier, e hoje conta com a assessoria do enólogo Michel Rolland.
Clos Apalta 2005 descança por aproximadamente 20 meses em barricas novas de carvalho francês em sua grande maioria.
Carmenere, Cabernet Sauvignon e Merlot, compõem este vinho, em proporções que podem variar de ano para ano.
A Mistral importa os vinhos da Casa Lapostolle http://www.mistral.com.br/
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão



Top 10 da Wine Spectator-2º

Meninas e meninos,

Continuando com a lista dos dez melhores dos Top 100 do ano de 2008 da publicação Wine Spectator.

2°) Chateau Rauzan-Segla Margaux 2005 97 points / $100
Autêntico corte bordalês, com Cabernet Sauvignon(54,5%); Merlot(39%); Petit Verdot(5%); e Cabernet Franc os retantes 1,5%.
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

Top 10 da Wine Spectator-3º

Meninas e meninos,

Continuando com a lista dos dez melhores dos Top 100 do ano de 2008 da publicação Wine Spectator.

3º) Quinta do Crasto Douro Reserva Old Vines 2005 95 points /$40
Este vinho Português, da famosa região do Douro, contem cerca de 30 variedades de uvas provenientes de vinhedos antigos, compondo este belo vinho, que descança em carvalho francês(85%) e americano por 18 meses.
O time de enólogos é composto por: Manuel Lobo, Dominic Morris and Tomás Roquette.
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão