domingo, 20 de junho de 2010

A FOGO DE MINAS É CHACHAÇA: É PRODUTO BRASILEIRO E ÓTIMA!


Meninas e meninos,
Hoje, dia 20/06/2010, em plena Copa do Mundo, e com jogo do Brasil, é claro que só poderia falar de produto nativo e dos bons.
Quem nunca degustou uma cachacinha? Quem nunca experimentou uma caipirinha?
A cachaça, que, aliás, hoje tem este nome regulamentado, quando o presidente Fernando Henrique Cardoso assinou na primeira semana de 2002 o decreto 4072 que estabelece que "cachaça é a denominação típica e exclusiva da aguardente destilada do caldo fermentado da cana produzida no Brasil, com graduação alcóolica de 38% a 48% em volume a 20 graus Celsius e com características sensoriais peculiares" alterando assim o decreto 2314/97 da Lei de Bebidas 8918 de 14.07.94. Com os decretos presidenciais (incluindo o decreto 4062 de dezembro de 2001, que assegura o uso do termo cachaça apenas para a aguardente Brasileira, o quadro da identificação da cachaça como rum pôde ser finalmente revertido, com o aval da OMPI: "a pinga é feita a partir do caldo da cana, enquanto o rum utiliza o melaço.
Um pouco de história:

Estamos no século XVI, período da introdução da cana de açúcar no Brasil. Nos engenhos de cana, o que restava da produção de açúcar era dado aos escravos e aos animais. Este resíduo era a borra do melaço fermentada, conhecido como "vinho de cana". Esta borra é chamada até hoje pelos espanhóis de "cachaza" ou cagassa em português. Os jesuítas registraram que a "áugoa ardente" era dada aos escravos.
Os Senhores de Engenho passam a servir o tal caldo, denominado Cagaça, para os escravos. Daí é um pulo para destilar a Cagaça, nascendo aí a Cachaça.
Os livros de história são unânimes em afirmar que o primeiro lugar a produzir aguardente foi a Capitania de São Vicente, onde hoje fica o estado de São Paulo, mas a boa cachaça é destilada nos quatro cantos do Brasil, com ótimos produtos. Conheci uma outro dia, sobre a qual alíás já postei, que é paulista, e hoje falo de uma mineirinha, como muitas que de lá vêm.
Seu nome?
FOGO DE MINAS.
Porque?
Ora e para dar nome a uma cachaça sempre temos que ter um porque?
Bem nascida na centenária fazenda Novo Horizonte, em Paiolinho, distrito de Poço Fundo, MG, e por ser esta fazenda tradicional no plantio de café, talvez seja porque a cachaça “queima” mais a garganta que o café quente; Podemos ficar com esta versão?
Em todo o caso, ao final do post como sempre faço, o site da Fogo de Minas os levarão a tirar as dúvidas surgidas.
São duas versões, PRATA E OURO, e claro que ambas de muito boa qualidade, mas sempre fico com a que nada trás de traços aromáticos da madeira, para provar a textura e paladar, que no caso é a PRATA, que passa um ano em tonéis de Jequitibá Rosa.
A OURO, passa um ano em tonéis de Bálsamo, dando-lhe suave cor dourada e perfume.
Eu se fosse vocês, ao assistirem e comemorarem os gols que nosso Brasil ainda fará hoje, o façam sem artifícios com a FOGO DE MINAS, que é produto nosso, ao ivés dos perigosos fogos de artifício: Certo?
Crédito da foto:Solange Macêdo
Fogo de Minas
http://www.fogodeminas.com.br/
Até o próximo brinde!

Álvaro Cézar Galvão

2 comentários:

benedettishop disse...

Procurando barril de carvalho, umburana, balsamo,castanheira e jequitiba rosa. Acesse www.benedettishop.com.br

Álvaro Cézar Galvão disse...

Obrigado por interagir
Abraços de luz
Álvaro Cézar Galvão