sábado, 19 de março de 2011

Bom Dia Campo recebe Álvaro Cézar Galvão com espumantes Valduga para abrir o apetite.


Meninas e meninos,
Tive o prazer de ser mais uma vez convidado para falar aos telespectadores do jornal Bom Dia Campo, que o Canal Rural leva ao ar diariamente.
A jornalista, inteligente e de uma beleza impar, sempre me coloca muito à vontade, não que eu seja um daqueles tímidos certo?
Desta vez, a conversa versou sobre o aumento da produção e vendas de espumantes no Brasil tendo a relevante marca de mais de 16,5 milhões de litros vendidos em 2010, e com a ótima noticia que atingimos cerca de 80% deste consumo com produtos Brasileiros.
Levei alguns espumantes da Valduga, englobando ai o Moscatel .Nero, o rosado Amante e o ótimo 130.
Pena que tive apenas um bloco para poder falar e mostrar os vinhos, mas pelos comentários, sei que atingi os objetivos de marcar território com os vinhos Brasileiros, dos quais tanto falo e acredito.
Na foto, estamos a jornalista e apresentadora Renata Maron, a produtora Andréa Godoy, e eu. O que fazer entre as duas beldades? É mole a vida de consultor em enogastronomia?
Vejam também o vídeo em
Até o próximo brinde!
Álvaro Cézar Galvão

3 comentários:

Giuliana Cupini disse...

Acabei de voltar da Valduga, onde tive o prazer e o privilégio de participar da Vindima e ver de perto como são elaborados os seus vinhos, principalmente os espumantes! Fiquei encantada com tamanho cuidado e profissionalismo para garantir a qualidade dos seus produtos. Superou minhas expectativas! Já era fã e agora que os harmonizei com meus bolos e doces, tentarei expandir ainda mais o consumo desses vinhos brasileiros! Além dos que você citou, gostaria de destacar o Espumante Gran Reserva Extra Brut 2004. Incrível! Parabéns à você, pela iniciativa e pela matéria escolhida!

Álvaro Cézar Galvão disse...

Giuliana, obrigado pela interação e pelo depoimento.
Quando comecei meu trabalho no vinho, uma das questões que mais me motivaram, foram os vinhos Brasileiro, e a desinformação geral sobre eles, naquela época e ainda hoje.
Continuo com a cruzada em favor de criteriosamente avaliarmos o Vinho Brasileiro, com o devido respeito, em que pesem ainda, taxas, impostos, selos, fretes, custos etc... demasiadamente elevados.
Beijos de luz e calor
Álvaro Cézar Galvão

euevoce disse...

Alvaro, parabens que blog atual,dinâmico e causador de sensações;fantastico.