quarta-feira, 6 de abril de 2011

Encontro de blogueiros discute sobre liberdade


Meninas e meninos,

O Chateaux Grand Bert 1982 Saint Emilion Philippe Lavigne o Bordeaux que degustamos no nosso encontro de blogueiros na loja do amigo João a Vino & Sapore, foi elaborado com 85% de Merlot e 15% Cabernet Franc. Passou 12 meses em barrica e fermentado também em barrica, pois não usavam cubas de inox ainda.

Falei dele por ter sido o decano das safras apresentadas, sem demérito ao gosto e variedade dos outros rótulos, mas poderia ter falado de muitos outros, pois como sempre se comenta, encontros de loucos de amor por vinhos, não se pode falar sem que as estrelas, os vinhos estejam presentes.

Outras tantas belezas em vinhos, que mais se realçaram pelo próprio brilho do encontro, um encontro de amigos verdadeiros estavam presentes.

Como é possível isto, vindo de pessoas que mal se conheciam e ainda pouco se conhecem? Bem, a sorte esteve todo o tempo de nosso lado, e mais, a integridade e ética das pessoas que compõem o Enoblogs, célula mãe desta turma.

O motivo de nos reunirmos, além do prazer em degustar belos vinhos em companhia de pessoas que falam, escrevem e vivem os vinhos das mais variadas formas, foi a idéia central de podermos ouvir as opiniões de todos sobre o processo de criação e adesão dos blogueiros em atividades comerciais que possam alavancar patrocínios e custear os blogs.

Conclusão genial é de que o blog é um instrumento liberto de amarras, mas não da ética e moral, e que estas, não se discutem, ou as temos dentro dos padrões vigentes, ou não as temos e basta. Livres somos e seremos, mas, sempre temos um más, necessitamos deixar claras nossas linhas de pensar para nossos leitores, e eles serão nossos críticos e sensores maiores.

Mas creio que a soma de tudo, e que todos puderam falar, é sobre suas definições, sendo que a amizade que nos uniu, deverá ser a maior linha mestra de nossas publicações, o respeito, já que nos linkamos com os blogs que mais nos identificamos, e daí por diante, talvez ao trocarmos opiniões, respeitosas e edificantes, possamos ir construindo o que todos nós já antevemos e o mercado com certeza viu, vê e já está se manifestando.

Quem poderia imaginar há alguns anos que uma turma louca por vinhos, uns sabendo muito, outros quase nada, eles mesmos confessos e sem que isto os desmereça em suas considerações, mas igualmente loucos de amor pelos vinhos, se uniriam, e com isto, chamaria a atenção dos anunciantes, dos mídias das agências e de industrias afins ao mundo dos vinhos?

Estamos vencendo barreiras com nossa nova maneira de comunicação, de escrever sobre os assuntos que nos apaixonam, e claro, são também, o motivo que nos torna alvo de oportunidades comerciais.

Paulo Queiroz, do blog Nosso Vinho tem razão: Beba, mas sempre sabendo o que faz, com moderação e nunca dirija depois de beber.

Até o próximo brinde!


Álvaro Cézar Galvão

5 comentários:

João Filipe Clemente disse...

Não é a toa que és nosso Decano e exemplo seguido pela maioria. Belo texto de muito foco e sensibilidade tendo captado e descrito bem o espirito que nos une.
Forte abraço

Álvaro Cézar Galvão disse...

Elogios de maigos n{ao valem
OBRIGADO
Abracos de luz
PS.O teclado ñao tem acentos no Chile

Daniel Perches disse...

Álvaro, sem dúvida foi um dia mágico. Sinto-me honrado de verdade em poder dividir a mesa com vocês. Como sempre, aprendo muito.

Abraços
Daniel

papo de vinho disse...

Perfeito Álvaro!!!
Como sempre.

Abraços
Beto Duarte

José Lúcio Natali - uvabar/campinas disse...

É sempre bom conhecer os principios de ética e honestidade de quem escreve. Uma vez reconhecidos estes valores, a existência ou não de patrocínio é tema secundário.